Astrônomos descobrem características do misterioso planeta anão Makemake

Equipe de cientistas, que incluiu brasileiros, usou conjunto de telescópios para observar o planeta anão no momento em que ele passou em frente a uma estrela distante

iG São Paulo | - Atualizada às

ESO/L. Calçada/Nick Risinger
Ilustração mostra superfície do planeta anão Makemake

Uma equipe internacional de astrônomos, que inclui brasileiros, conseguiu descobrir características como tamanho, brilho e densidade do planeta anão Makemake. Os cientistas também constataram que Makemake não tem atmosfera. Ele é um dos cinco planeta anões do Sistema Solar, grupo no qual se inclui o recentemente rebaixado Plutão. Os astrônomos utilizaram três telescópios para observar o planeta anão no momento em que ele passou em frente a uma estrela distante.

"Quando Makemake passou em frente da estrela, a radiação emitida por esta foi bloqueada, a estrela desapareceu e apareceu muito abruptamente, em vez de desaparecer lentamente e depois ficar gradualmente mais brilhante. Isto significa que o pequeno planeta anão não tem uma atmosfera significativa," disse em comunicado José Luis Ortiz, do Instituto de Astrofísica de Andalucía, na Espanha, e autor principal do estudo publicado no periódico científico Nature.

Observações anteriores do gélido Makemake mostraram que este corpo é similar aos outros planetas anões, o que levou os astrônomos a pensarem que ele possuiria uma atmosfera semelhante à de Plutão. No entanto, este novo estudo mostra que, tal como Éris, Makemake não é rodeado por uma atmosfera significativa.

Leia mais:
Astrônomos descobrem que planeta anão Éris é gêmeo de Plutão
Telescópio Hubble descobre quinta lua de Plutão
Astrônomos descobrem a quarta lua de Plutão

Makemake tem cerca de dois terços do tamanho de Plutão e viaja em torno do Sol numa órbita mais distante que este, mas mais próxima do Sol do que Éris, o planeta anão de maior massa conhecido no Sistema Solar.

"Pensava-se que Makemake tivesse desenvolvido uma atmosfera - o fato de não haver sinais de uma, mostra apenas o quanto temos ainda a aprender sobre estes corpos celestes misteriosos. Descobrir as propriedades de Makemake pela primeira vez é um grande passo para frente no estudo deste grupo seleto de planetas anões gélidos."

A ausência de luas do Makemake e a grande distância da Terra torna difícil o seu estudo. As novas observações da equipe acrescentam mais detalhes sobre o conhecimento deste corpo celeste. Os astrônomos afirmam que foi possível determinar seu tamanho de forma mais precisa, limitar a hipótese de uma possível atmosfera e estimar a densidade do planeta anão pela primeira vez.

Os dados também permitiram medir qual a quantidade de luz solar que é refletida pela superfície do planeta - o seu albedo. O albedo de Makemake é cerca de 0,77, comparável ao da neve suja, maior que o de Plutão, mas menor que o do Éris.

"Plutão, Éris e Makemake estão entre os maiores exemplos dos inúmeros corpos gélidos que orbitam muito longe do Sol," diz José Luis Ortiz. "As nossas novas observações fizeram avançar muito o conhecimento sobre um dos maiores, Makemake. Poderemos agora usar esta informação para explorar mais a fundo os intrigantes objetos que se situam nesta região do espaço."

    Leia tudo sobre: makemakeplaneta anãoplutãoespaçoastronomia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG