Estudo diz que penas em dinossauros serviam para acasalamento

Análise de fósseis jovens e adultos mostrou que penas surgiam na idade adulta, o que sugere ligação com comportamento reprodutivo, como os pavões

Maria Fernanda Ziegler - iG São Paulo | - Atualizada às

Julius Csotoniy
Reconstrução artística do Ornithomimus: penas para enfeitar, e não para voar

Pesquisadores descobriram que ao contrário do que se pensava, as primeiras penas de dinossauros serviram para atrair parceiros e não como regulador térmico ou voo. A análise de fósseis de um dinossauro jovem da espécie Ornithomimus edmontonicus e de dois adultos revelou que apenas os mais velhos possuíam penas no antebraço ou na asa. De acordo com o estudo, isto sugere que as penas tinha a função de atrair potenciais parceiros sexuais.

Galeria: os novos dinossauros 

Os fósseis encontrados no Canadá são de terópodes que viveram há 75 milhões de anos e que foram os primeiros a apresentar penas. Para os pesquisadores, os três fósseis preenchem uma lacuna importante no registro de penas fósseis. “ Eles mostram que a evolução da estrutura das asas ocorreu muito antes do que se pensava anteriormente”, disse ao iG a paleontóloga Darla Zelenitsky, da Universidade de Calgary, no Canadá e autora do estudo publicado nesta quinta-feira (25) no periódico científico Science.

Leia sobre outros estudos sobre penas de dinossauros:
Descoberto maior dinossauro com penas
Fóssil mostra que todos os dinossauros podem ter tido penas
Dinossauro tinha pena iridescente há 130 milhões de anos
Pesquisadores descobrem que Archaeopteryx tinha penas pretas

“Aparentemente as penas do antebraço dos Ornithomimus surgiram como ornamentação ou em associação a comportamentos reprodutivos. Uma boa comparação com um animal atual seria com o pavão, que gosta de exibir suas belas penas antes de acasalar”, disse Darla.

    Leia tudo sobre: dinossauropenapaleontologiaaves

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG