Perfuração em lençol freático pode ter causado terremoto na Espanha

Cientistas relacionam redução do nível do aquífero ao tremor de 5,1 de magnitude que ocorreu no sul da Espanha no ano passado

Reuters |

Reuters

AFP
Carros destruídos por escombros de terremoto são vistos em Lorca, sul da Espanha

Um terremoto que matou nove pessoas no ano passado na Espanha pode ter sido causado pelo esvaziamento do lençol freático na região, o que sugere que a atividade humana ao longo das décadas teria causado alterações na crosta terrestre, disseram cientistas.

O estudo, publicado na revista Nature Geoscience, examinou o sismo de 11 de maio de 2011 em Lorca, no sul da Espanha. O tremor, de magnitude 5,1, abalou vários edifícios da localidade agrícola.

Veja também: Terremoto de Lorca é o mais grave da Espanha desde 1956

Pablo González, da Universidade de Ontário Ocidental, disse que ele e seus colegas consideram que o terremoto foi causado por uma redução no nível do aquífero local, o que pode criar uma pressão na superfície terrestre.

Para testar essa teoria, eles usaram dados de satélite para avaliar como o terreno foi deformado pelo terremoto, e descobriram uma correlação com mudanças na crosta terrestre em decorrência da redução de 250 metros no nível do lençol freático, por causa da retirada de água ao longo de cinco décadas.

Leia mais:
Brasil testará técnica proibida para extrair gás natural
EUA relacionam método de extração de petróleo a terremotos
Terremotos no Brasil são raros, mas representam um perigo real
Entenda como acontecem os terremotos

Eles concluíram que uma sobrecarga causada por humanos sobre falhas geológicas como a existente perto de Lorca, conhecida como Falha de Alhama de Murcia, pode não só causar um terremoto como também influenciar a distância até onde a falha irá escorregar.

A água no lençol freático de Lorca foi extraída em poços cada vez mais profundos, para abastecer a agropecuária local.

Embora a pesquisa não faça relação com outros terremotos, ela pode oferecer pistas sobre futuros tremores que ocorram perto de corpos hídricos, disse González por telefone.

"Não podemos estabelecer uma regra só estudando um caso em particular, mas as evidências que recolhemos nesse estudo poderiam ser necessárias para expandir as pesquisas para outros eventos futuros que ocorram próximos de barragens, aquíferos e geleiras derretidas, onde você tenha falhas tectônicas próximas dessas fontes", disse González.

Ele disse que essa situação é diferente da que vem ocorrendo nos últimos dois anos no Texas, onde pequenos terremotos têm sido registrados, muitos deles perto de poços onde águas servidas são injetadas nas profundezas do subsolo.

    Leia tudo sobre: MUNDOCIENCIATERREMOTOARTIFICIAL

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG