Professora brasileira recebe prêmio L'Oréal-Unesco Para Mulheres na Ciência

Ela foi premiada por ter descoberto uma anomalia na água que levaria à compreensão da diversidade de fenômenos no mecanismo de dobramento de proteínas

EFE | - Atualizada às

EFE

Reprodução/UFRGS
Marcia Barbosa, do Instituto de Física da UFRGS, vai ganhar 100 mil dólares por seu estudo pioneiro de uma anomalia na água

A professora brasileira Marcia Barbosa, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi laureada nesta sexta-feira (19) com um dos cinco prêmios L'Oréal-Unesco Para Mulheres na Ciência 2013. Marcia foi premiada por ter descoberto uma anomalia na água "que poderia levar a uma melhor compreensão" de uma grande diversidade de fenômenos no mecanismo de dobramento de proteínas, que é essencial para o tratamento de certas doenças, destacaram a Unesco e a multinacional francesa de cosméticos em comunicado.

As ganhadoras de 2013 procedem dos cinco continentes e receberão o prêmio de US$ 100 mil no dia 28 de março, na sede central da Unesco, em Paris. Os responsáveis pelo prêmio L'Oréal-Unesco, criado há 15 anos para promover os trabalhos pioneiros na ciência, disseram que todas as homenageadas foram selecionadas pela dedicação ao trabalho e "por pesquisas inovadoras e fundamentais em diferentes campos científicos".

As outras ganhadoras do prêmio são Francisca Nneka Okeke, da Universidade da Nigéria; Pratibha Gai, da Universidade britânica de York; Reiko Kuroda, da Universidade das Ciências de Tóquio; e Deborah Jon, do National Institute of Standards and Technology da Universidade do Colorado.

Leia também:
Concurso premia jovens mulheres cientistas com bolsa de R$ 20 mil
As mulheres que fazem o futuro da ciência brasileira
Mulheres cientistas pedem maior participação em missões espaciais
Mildred Dresselhaus, a cientista que ajudou a criar a era da nanotecnologia
Amalie Noether: uma grande cientista desconhecida

A diretora geral da Unesco, Irina Bokova, afirmou que "estas cinco mulheres fornecem ao mundo uma compreensão mais minuciosa do funcionamento da natureza e são fonte de inspiração para todos". "Seus descobrimentos modificam nossa maneira de ver e pensar em numerosos campos das ciências físicas e ampliam as fronteiras da ciência e da tecnologia, podendo transformar nossas sociedades", disse a ex-diplomata búlgara.

O programa Para as Mulheres e a Ciência, que em 15 anos já premiou 77 mulheres, inclui, a cada ano, uma série de bolsas de estudos voltadas para pesquisas internacionais, regionais e nacionais.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG