Morre britânico Keith Campbell, um dos pais da ovelha Dolly

Pesquisador integrou equipe que clonou pela primeira um animal a partir de uma célula adulta

AFP | - Atualizada às

AFP

AP
Foto de 2007 mostra a ovelha Dolly com sete meses de vida

Keith Campbell, um dos cientistas britânicos que participaram da clonagem da ovelha Dolly, faleceu aos 58 anos, anunciou nesta quinta-feira (11) uma porta-voz da Universidade de Nottingham, para a qual trabalhava desde 1999.

Campbell, que morreu no dia 5 de outubro por uma razão não informada, fez parte da equipe de cinco pesquisadores do Instituto Roslin de Edimburgo, liderada por Ian Walmut, que se tornou mundialmente famoso ao clonar pela primeira vez em 1996 um animal a partir de uma célula adulta, a ovelha Dolly.

Membro do instituto desde 1991, o biólogo celular realizou parte das pesquisas e, segundo a imprensa britânica, Wilmut admitiu anos depois diante de um tribunal escocês que 66% do mérito correspondia a ele.

Leia mais:
Cientistas criam células-tronco usando óvulos e pele humana
Polêmico cientista sul-coreano quer clonar um mamute
Primeiro gato clonado faz 10 anos em mercado que produz poucas réplicas

Campbell deixou o Instituto Roslin em 1999, quando aceitou um cargo de professor de Desenvolvimento Animal na Faculdade de Ciências Biológicas da Universidade de Nottingham (centro da Inglaterra).

O nascimento de Dolly, que ocorreu no dia 5 de julho de 1996, embora não tenha sido anunciado até o ano seguinte, provocou um grande debate midiático sobre a ética da clonagem. Depois de envelhecer de forma prematura, a ovelha precisou ser sacrificada em 2003.

Depois Dolly, a pesquisa sobre a clonagem animal se desenvolveu muito, especialmente a de animais domésticos, e a ovelha foi seguida por cavalos, touros, porcos, ratos, coelhos, gatos e cachorros.

    Leia tudo sobre: dollyKeith Campbell

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG