Estação espacial deve realizar manobra para não colidir com restos de satélite

Dois pedaços do aparelho espacial Kosmos-2251 ameaçam a segurança da ISS. Estação pode corrigir sua órbita nesta quinta-feira

EFE |

EFE

Nasa
Estação Espacial sob ameaça: pesquisadores estimam que mais de 700 mil fragmentos de lixo espacial estão na órbita terrestre

A Estação Espacial Internacional (ISS) pode ser obrigada a realizar manobra para se esquivar dos restos de um satélite de espionagem militar russo abandonado, informou nesta quarta-feira (26) um porta-voz do Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia.

"Dois pedaços do aparelho espacial Kosmos-2251 podem ameaçar a segurança da estação. Para evitar o lixo espacial, pode ser necessário uma manobra da ISS", afirmou a fonte à agência "Interfax". Em caso de necessidade, a plataforma orbital poderia corrigir sua órbita já nesta quinta-feira (27), com ajuda do cargueiro europeu ATV.

Leia mais:
Cientistas criam 'satélite-faxineiro' para recolher lixo espacial
Lixo espacial deixa astronautas de estação em alerta
Nasa deve aprimorar o manejo do lixo espacial, alerta estudo

Em janeiro, a estação corrigiu sua órbita para evitar a colisão com um fragmento de satélite americano Iridium-33. Os restos deste satélite se espalharam pela órbita terrestre em 10 de fevereiro de 2009, depois que ele se chocou com o Kosmos-2251, o que fez com que ambos se partissem em mais de mil fragmentos.

Em junho de 2011, a perigosa proximidade do lixo, que passou a apenas 250 metros da estação, obrigou os seis tripulantes a evacuar a plataforma e buscar refúgio nas naves Soyuz que nela estavam acopladas.

A corporação aeroespacial russa Energuia constrói uma nave tripulada para recolher lixo espacial, principal ameaça para a ISS. Os pesquisadores das principais agências espaciais acreditam que mais de 700 mil fragmentos de lixo espacial vaguem na órbita terrestre. 

    Leia tudo sobre: espaçonasaestação espacial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG