Esqueleto fossilizado de diprotodonte descoberto em fazenda de gado pode ajudar a explicar desaparecimento do marsupial na Terra

EFE

Fóssil de diprotodonte foi encontrado em fazenda na Austrália
EFE
Fóssil de diprotodonte foi encontrado em fazenda na Austrália

Os restos fossilizados de um diprotodonte, um marsupial gigante do tamanho de um rinoceronte que habitou a Terra na era do Pleistoceno, foram encontrados no norte da Austrália.

O esqueleto fossilizado foi descoberto por um trabalhador em uma fazenda de gado situada a dez horas em carro da cidade de Darwin, no Território Norte, e foi entregue há um mês às autoridades australianas, segundo informou a agência local "AAP".

Os restos mortais, os primeiros de um diprotodonte descobertos no Território Norte, não incluem o crânio, mas as costelas, quadril, espinho dorsal e patas traseiras.

Leia mais:
Marsupial gigante de 50 mil anos é descoberto na Austrália
Austrália tinha marsupiais do tamanho de ovelhas
Fósseis de 15 milhões de anos revelam semelhança com cangurus
Marsupial gigante de 50 mil anos é descoberto na Austrália
Marsupial vesgo de zoológico alemão vira celebridade

Adam Yates, do departamento de Ciências Terrestres do Museu da Austrália Central, espera que a descoberta ajude a dissipar a incógnita em torno do desaparecimento destes animais, que alguns analistas acreditam ter sido causado pelo ser humano, enquanto outros o atribuem a outros fatores.

"Qualquer jazida da era do gelo no norte tropical da Austrália é muito, mas muito rara", comentou Yates, que considera que a chegada dos seres humanos à Austrália "é significativa" para explicar a extinção da megafauna da ilha-continente.

O diprotodonte era um marsupial da era do Pleistoceno que caminhava em quatro patas e se parecia com o vombate, embora tivesse o tamanho de um rinoceronte ou um hipopótamo.

Estes animais de três metros de comprimento e dois metros de altura tinham um par de incisivos proeminentes, mas eram herbívoros e habitavam as florestas abertas e planos semi-áridos da Austrália.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.