Oficina de Tesla vira reduto requisitado

Três grupos estão arrecadando fundos para comprar o local de trabalho do inventor da corrente alternada, no interior de Nova York

The New York Times |

The New York Times
Cena do filme "Fragmentos do Olimpo", que contará a vida de Nikola Tesla

Nikola Tesla eletrizou o mundo com a criação da corrente alternada e, em seguida, caiu na obscuridade, morrendo sem dinheiro em 1943 no 33º andar do New Yorker Hotel, em Manhattan. Mas, apesar de sua fama ter sido ofuscada por outros inventores, ele nunca foi totalmente esquecido: um grupo de entusiastas há muito tempo tem tentado dar a este gênio excêntrico o que lhe é devido.

Agora, seus devotos estão fazendo progressos com seus esforços para criar um memorial comemorativo a Tesla, comprando e restaurando Wardenclyffe, sua propriedade de seis hectares localizada na costa norte de Long Island, que possui sua única oficina restante.

Três esforços de arrecadação de fundos estão em andamento. Todos têm como objetivo transformar a oficina em um museu ou centro de ensino, mas cada um tem uma maneira diferente de arrecadar o dinheiro - doações online, contribuições estrangeiras e simples filantropia, na forma de um filme que memorialize Tesla, um visionário ousado.

"Muitas pessoas não sabem quem foi Tesla", disse o cineasta José Sikorski. "Nós queremos contar sua história. É um filme de suspense que tem como objetivo atrair a atenção dos jovens."

Leia também:
O intrincado mundo do Prêmio Nobel
Estudo revê conceito de eletricidade estática
As alternativas da energia

O orçamento do filme sobre Tesla, que será intitulado de "Fragmentos do Olimpo", incluiu a compra de Wardenclyffe. Para atrair investidores, Sikorski, produtor de vídeos corporativos, filmou um teaser de cinco minutos que apresenta Leo Rossi, um ator que apareceu em filmes como "Máfia no Divã" (1999) e "Acusados" (1988).

"O homem era um verdadeiro gênio", disse Rossi sobre Tesla em um vídeo promovendo o filme. "Por que não fazer mais filmes sobre pessoas como ele?"

Os cineastas disseram que haviam selecionado a atriz Sean Young como parte do elenco ("Blade Runner", "Wall Street") e o diretor de fotografia Howard J. Smith (da trilogia "Matrix" e "Homens de Preto III"). O enredo gira em volta dos desafios enfrentados pelo inventor e seus triunfos, assim como o interesse do governo americano no que Tesla descreveu como um raio da morte.

O local de 6 hectares em Shoreham, está a venda desde fevereiro de 2009. Hoje, fãs de Tesla estão querendo comprar o laboratório abandonado de Tesla da Corporação Agfa. O local vale US $1,6 milhões.

Se o filme for para frente, seus fundos para a compra de Wardenclyffe irão para o Centro Tesla para Ciência, um grupo privado em Shoreham que está buscando transformar o laboratório em ruínas em um memorial educacional.

Outro esforço para arrecadação de fundos surgiu este mês, quando o site de quadrinhos The Oatmeal ajudou o site IndieGoGo, arrecadar quase US$ 1 milhão para a compra do local. O esforço deve ocorrer no final de setembro.

Jane Alcorn, presidente do Centro Tesla para Ciência disse que o grupo estava se preparando para se aproximar do grupo Agfa sobre a compra e que, se tudo ocorresse conforme planejado, a venda poderia render até quase US$ 850.000 em reembolsos por parte do Estado de Nova York.

"As pessoas parecem estar bastante animadas para contribuir", disse ela na semana passada sobre o último esforço, observando que os doadores do IndieGoGo viviam em 102 países diferentes.

A última oferta de aquisição envolve uma mulher de Moscou de ascendência sérvia chamada Milka Kresoja. (Tesla era de origem sérvia e uma de suas irmãs se chamava Milka.) Ela entrou em contato com a Agfa e visitou Wardenclyffe mas divulgou poucos detalhes sobre seus planos.

Em um email ela disse que suas intenções são "nobres e sinceras." Seu plano, acrescentou, é utilizar Wardenclyffe "não apenas como uma lembrança do que Tesla realmente fez para a humanidade", mas como uma forma de inspirar novos avanços.

Kresoja é dona de um restaurante em Moscou, o Blue Elephant, e pratica um método de cura supostamente místico conhecido como Metamorfose Tesla. Alega que os raios terapêuticos podem viajar longas distâncias para curar o câncer e até mesmo defeitos de nascimento. Kresoja ajuda a ministrar seminários ao redor do mundo, que podem custar US $ 1.840.

Os fãs de Tesla em Long Island parecem cautelosos com o esforço estrangeiro, preocupados que poderiam transformar o antigo laboratório em um restaurante temático ou um paraíso místico - ou ambos. "Eu gostaria que um grupo local o comprasse", disse John P. O’Hara, um agente imobiliário de Nova York.

    Leia tudo sobre: teslalaboratórioeletricidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG