Astronautas falham ao instalar novo distribuidor elétrico na ISS

Sunita Williams e Akihiko Hoshide tiveram dificuldades de instalar o equipamento durantes as 8h da caminhada espacial de quinta-feira

EFE |

EFE

A astronauta americana Sunita Williams e o japonês Akihiko Hoshide não conseguiram instalar um novo distribuidor elétrico na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), em substituição a outro, que está estragado, durante a caminhada espacial realizada nesta quinta-feira (30).

Os astronautas conseguiram retirar e armazenar a peça estragada, mas tiveram dificuldades para fixar a nova em uma das principais vigas da Estação Espacial Internacional, que orbita a 380 quilômetros da Terra.

A estação tem quatro quadros elétricos que distribuem a eletricidade aos canais de energia da estação. A peça retirada começou a dar problemas em outubro de 2011 e, apesar de não ter deixado de funcionar totalmente, não operava em plena capacidade, os especialistas da Nasa temiam que ela falhasse a qualquer momento, e a partir daí, decidiram substituí-la.

Leia também:
Tripulantes russos da ISS concluem com sucesso caminhada espacial
Sarah Brightman é cotada para ser a próxima turista espacial
Vídeo da Nasa mostra Terra vista de cima

No entanto, apesar das mais de 8h em que os astronautas estiveram no espaço, não conseguiram fixar a nova peça, que ficará como tarefa pendente para a próxima caminhada espacial realizada pela tripulação da ISS, assim como a substituição de uma câmara no braço robótico canadense Canadarm2.

 "Infelizmente não completamos todas as nossas tarefas", informou em uma videoconferência após concluir a missão, o diretor do programa da ISS da Nasa, Michael Suffredini.

Suffredinni destacou o "excelente trabalho" de toda a equipe e explicou que estão avaliando se há tempo para programar outra caminhada espacial para os membros da expedição 32 à ISS, decisão a ser tomada nas próximas semanas.

A Nasa não teme que o contratempo afete a eletricidade da estação, já que contam com recursos suficientes para distribuir e compartilhar a energia de forma equilibrada.

Os astronautas cumpriram com sucesso a segunda das principais tarefas previstas para hoje, que era a conexão de dois cabos para receber um novo módulo de laboratório russo no ano que vem.

A missão, que tinha previsão de duração de 6h30, se prolongou por conta do imprevisto e foi a terceira mais longa da história, durando 8h56. Essa foi a quinta expedição espacial para Williams, que completou 37 horas e 34 minutos em atividades extraveiculares, enquanto eram as primeiras do astronauta japonês.

Os astronautas completaram a missão 164 em apoio aos trabalhos de montagem e manutenção do laboratório espacial, um projeto de mais de US$ 100 bilhões no qual trabalham mais de 12 de países. 

    Leia tudo sobre: estação espacialissnasaastronautas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG