Nasa anunciou nesta sexta-feira (17) que manutenção dos sistemas já terminou e que o robô está pronto para entrar em operação. Veja no infográfico toda a tecnologia do Curiosity


O jipe-robô Curiosity ligou nesta sexta-feira (17/08) o gerador de nêutrons que carrega em uma de suas laterais, enquanto se prepara para uma primeira excursão em busca de minerais que possam dar novas informações sobre Marte.

Os cientistas da Nasa informaram que todos os instrumentos do robô estão em bom estado. "As coisas estão indo bem", disse em teleconferência John Grotzinger, do Instituto Tecnológico da Califórnia e diretor científico de Curiosity. Veja no infográfico todos os instrumentos do Curiosity:

"Todos os instrumentos que estamos testando estão funcionando e estamos orgulhosos de anunciar que o instrumento DAN, foi ligado hoje e operou com sucesso", anunciou Grotzinger. DAN é um espectrômetro de nêutrons com capacidade para detectar hidrogênio, cuja presença pode significar que há água em forma de gelo ou na superfície de um mineral que esteja no subsolo a uma profundidade de até um metro. Este é o instrumento que a agência espacial russa forneceu ao projeto no qual participam sete países além dos EUA: Espanha, Rússia, França, Alemanha, Itália, Canadá e Japão.

Veja também:
Curiosity pousa com sucesso em Marte
Veja outras imagens de Marte
Veja as imagens que o Curiosity já mandou
'Jeitinho brasileiro me ajudou', diz executivo de missão da Nasa
Nasa divulga vídeo do pouso do Curiosity em Marte
Curiosity: em busca dos elementos da vida em Marte
Missão revela galã de moicano da Nasa 
Músicas de Beatles e The Doors são tocadas para acordar robô em Marte

Grotzinger afirmou ainda que também realizaram testes com o REMS, uma estação ambiental fornecida pela Espanha, e adiantou que esperam poder divulgar os primeiros dados científicos na próxima semana.

As câmeras do Curiosity já estão funcionando e a Nasa está definindo quais serão os primeiros movimentos do jipe-robô e os pontos que visitará para começar as primeiras escavações.

Os cientistas estimam que, em cerca de um ano, o Curiosity chegará às encostas do monte Sharp, mas antes passará pelas marcas que os motores dos quatro propulsores deixaram ao aterrissar.

Também identificaram a primeira rocha que o laser da ChemCam examinará nos próximos dias, a N165, situada a pouco mais de dois metros de onde se encontra o Curiosity ( Veja na galeria ) . "Nossa equipe esperou oito longos anos por este momento" disse Wiens, que espera poder compartilhar no início da próxima semana os resultados dos primeiros disparos.

A ChemCam vai disparar cerca de 30 jatos de laser em dez segundos para aquecer a rocha até que suas moléculas se transformem em uma bola de fogo, permitindo assim que os instrumentos do Curiosity analisem as cores que desprende, que darão pistas sobre os átomos de que é composta. 


(Com informações da EFE) 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.