Caverna revela registros antigos de animais domésticos

Sítio arqueológico na Namíbia contém ossos de cabra e carneiro de cerca de 2000 anos, os mais antigos encontrados até agora na África subsaariana

The New York Times |

The New York Times
Nesta caverna na Namíbia foi encontrada a prova mais antiga de animais domesticados na África subsaariana

Explorando uma caverna da Namíbia, arqueólogos encontraram as evidências mais antigas de animais domesticados na África subsaariana.

A caverna, que fica na região noroeste do país, contém ferramentas de pedra e ossos, contas e pingentes, pedaços de cerâmica e ossos de vários animais – galinha, avestruz, lagarto-monitor, tartaruga, impala, damão-do-cabo e diversos roedores.

Leia também:
Genoma do carneiro mostra sua versatilidade
DNA mostra que origem do cão doméstico é confusa
Frangos já eram domesticados há 8 mil anos
Ter pets fez parte da evolução humana
Crânio de 33 mil anos seria de cão primitivo domesticado, diz estudo
Cavalos foram domesticados há 6 mil anos na Eurásia, diz estudo

Os pesquisadores também descobriram dois dentes que podem ser de cabra ou carneiro – eles estão gastos demais para permitir a diferenciação, mas o formato condiz com dentes de cabras e carneiros domésticos africanos da atualidade. Atualmente, não existem carneiros ou cabras selvagens na África subsaariana. Embora algumas espécies selvagens talvez tenham sido extintas há aproximadamente 12 mil anos, não há evidências de sua presença na região oeste do continente. Os pesquisadores estão certos de que os restos mortais encontrados pertencem a animais domésticos.

Os dentes têm 2.190 e 2.270 anos. Os restos mortais mais antigos até agora, datados por radiocarbono, são de um carneiro de 2.105 anos descoberto na África do sul.

O estudo é uma colaboração entre o Museu Nacional da Namíbia e o Museu de História Natural de Paris e está publicado no periódico PLoS One. Principal autor do estudo e professor adjunto do museu parisiense, David Pleurdeau afirmou que a descoberta não significa necessariamente que a população que morava próximo a esse sítio criava animais domésticos.

"Não há evidências na caverna de que os residentes eram pastores", afirmou. "Não sabemos ainda se eles eram pastores que migraram para a região ou um grupo local que introduziu alguns carneiros."

    Leia tudo sobre: paleontologiapetsanimaiscavernas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG