Pesquisadores que estavam na Antártida dizem que ainda não foram indenizados

Cientistas que estavam na Estação Comandante Ferraz durante incêndio divulgaram manifesto reclamando que ainda não foram ressarcidos por perdas sofridas no desastre

Agência Estado |

Agência Estado

Reuters
Funcionários da base na Antártida trabalham para apagar o fogo em fevereiro deste ano

Cientistas que escaparam do incêndio na base Comandante Ferraz divulgaram manifesto com reclamações sobre o fato de não terem sido indenizados pelo governo federal por perdas sofridas no desastre. Nele, dizem que nem sequer são atendidos quando buscam informações nos órgãos governamentais.

O documento é assinado por 30 dos 31 pesquisadores que estavam na Antártida em 25 de fevereiro deste ano. Só não o assinou a cientista Therezinha Absher (UFPR), por estar fora do Brasil.

Veja também: Base da Antártida estava em festa quando fogo começou

Os outros quatro pesquisadores da universidade paranaense endossaram o manifesto, assim como profissionais de universidades e instituições do Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul. Uma delas é a cientista espanhola Begoña Jimenez Luque, que perdeu os documentos no incêndio.

Além de passaportes, os cientistas perderam roupas, dinheiro, computadores, aparelhos eletrônicos e amplo material de pesquisas - algumas delas, com patrocínio internacional, avaliadas em milhares de dólares .

"Ressaltamos que em nenhum momento os órgãos responsáveis entraram em contato conosco para solicitar informações sobre perdas pessoais durante o incêndio e todo o atendimento realizado se limitou ao resgate e transporte para o Brasil. Nenhum contato posterior foi realizado e contatos feitos por nós não foram respondidos", dizem os pesquisadores.

O pagamento de indenizações foi anunciado por representantes do governo na Patagônia chilena, entre eles o contra-almirante Marcos José de Carvalho Ferreira, enviado do governo para auxiliar os sobreviventes. Ele chegou a falar em R$ 10 mil de indenização para cada um. Em pronunciamentos públicos, o ministro da Defesa, Celso Amorim, também falou em ressarcimento, sem estimar valores.

Leia também:
Falha no sistema elétrico pode ter causado incêndio, diz embaixador
Acidente em base na Antártida expõe crise do programa brasileiro
Pesquisadores e militares que estavam na Antártida voltam ao Brasil
Chile oferece ajuda na reconstrução da base na Antártica
70% da estação na Antártida foi destruída pelo fogo, diz Marinha
Acidente expõe crise do programa brasileiro, diz pesquisador

"As informações divulgadas na imprensa não foram contestadas pelos órgãos envolvidos nem sequer fomos consultados em relação às perdas que tivemos. A divulgação de tais informações serviu para que os pesquisadores se sentissem confiantes", diz o texto.

Ao Estado, a Marinha alegou que as indenizações eram de responsabilidade do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, que negou ter responsabilidade no caso. "Não cabe a esta pasta ações indenizatórias", afirmou. 

    Leia tudo sobre: antártidaincêndiociênciacomandante ferraz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG