Arte rupestre na Espanha é mais antiga do que se pensava

Descoberta traz a possibilidade que neandertais sejam autores de desenhos pré-históricos antes atribuídos a humanos

Alessandro Greco especial para o iG |

Science
Impressões de mão da caverna de El Castillo podem ter sido feitas por homens ou neandertais

A descoberta de que um grupo de pinturas rupestres na Espanha são mais antigas do que se acreditava e, a partir de agora,são as mais antigas já encontradas na Europa poderia ser simplesmente mais uma constatação de que conforme as técnicas científicas avançam, as conclusões mudam. Não é, no entanto, este o caso. O trabalho feito por um grupo de cientistas ingleses, espanhóis e portugueses de que há pinturas com mais de 40 mil anos coloca uma questão mais complexa: quem as fez? O homem moderno ou o neandertal?

Publicado nesta quinta-feira (14) no periódico cientifico Science, o estudo analisou 50 pinturas em 11 cavernas no norte da Espanha, em especial das cavernas de Altamira , El Castillo e Tito Bustillo, consideradas patrimônios da humanidade pela UNESCO.

Science
O líder do estudo Alistair Pike precisa de quantidades mínimas de material para determinar a idade das pinturas

Os resultados mostram que uma delas, um disco vermelho, de El Castillo, tem ao menos 40.800 anos e outra, um estêncil de mão, 37.300. A idade mínima foi determinada com a técnica de datação do decaimento radioativo do urânio – o método tradicional de medição via radiocarbono não funciona em trabalhos que não possuam pigmentos orgânicos como era o caso dos desenhos que tinham apenas minerais.

“Em cima dessas pinturas se formaram finas camadas de carbonato de cálcio pelo mesmo processo que se formam as estalagmites. Essas camadas incorporam pequenas quantidades de urânio que decai para o elemento tório após um determinado período. É a medida desse decaimento que nos diz há quanto tempo essas crostas se formaram”, explicou Alistair Pike, da Universidade de Bristol, Inglaterra, que liderou a pesquisa durante teleconferência com jornalistas.

Leia também:
Desenho rupestre mais antigo das Américas é descoberto no Brasil
Pinturas rupestres eram realistas, revela estudo de DNA
Descobertas imagens pornográficas feitas por homens das cavernas

O resultado permite diversas interpretações. É sabido que o homem moderno chegou à região 41.500 anos atrás e o neandertal desapareceu há cerca de 42 mil anos. Se estas pinturas existiam há 43 mil anos então pode-se concluir que elas foram pintadas por neandertais, mas a datação obtida pelos cientistas dá apenas a idade mínima e não a máxima. “Sabemos que o comportamento artístico já existia antes da chegada dos humanos modernos à Europa mesmo que não tenhamos pinturas em cavernas na África – ao menos que saibamos. Porém também sabemos que a cultura de fazer símbolos existia entre os neandertais.”, explicou João Zilhão, da Universidade de Barcelona, na Espanha, outro dos autores do artigo presente à teleconferência. E completou: “Então não deveria ser surpresa se os neandertais fossem de fato os primeiros artistas das cavernas. Isso pode parecer chocante embora não devesse ser realmente surpreendente devido ao que aprendemos sobre eles na última década”.

Leia mais sobre neandertais:
Homem de Neandertal já cozinhava alimentos e comia vegetais
Neandertal usava pintura corporal e bijuterias, diz estudo
Neandertais também criaram ferramentas
Último refúgio dos neandertais teria sido na Rússia

Outro cenário possível é assumir que os humanos modernos chegaram à Europa trazendo com eles a tradição de pintura nas cavernas, mas as primeiras evidências desses desenhos estão atualmente na Europa. “Não temos amostras em nenhum outro lugar de que os humanos modernos pintavam antes de chegar à Europa, mas talvez com mais pesquisas achemos alguma prova. Um segundo cenário poderia ser que a tradição de pinturas em cavernas surgiu logo depois da chegada dos humanos modernos à Europa. Temos de perguntar, no entanto, porque ela surgiria na Europa e não na África aonde temos indícios de uso de símbolos dezenas de milhares de anos antes da primeira pintura na Europa”, afirmou Pike.

Veja no vídeo abaixo algumas das imagens das cavernas de Altamira: 

Caso não consiga ver o vídeo, clique para assistir na TV iG:  Arte rupestre na Espanha é mais antiga do que se pensava

Para chegar a uma conclusão definitiva sobre o tema os cientistas estão fazendo atualmente mais análises. “Analisamos uma pequena porcentagem das pinturas disponíveis na Europa. Neste momento temos um programa que está buscando especificamente estêncis de mão e discos vermelhos e símbolos vermelhos para verificar se podem ser encontradas datas significativamente mais antigas do que 41 mil, 42 mil anos em amostras de outras pinturas”, explicou Pike.

Obviamente se a resposta for positiva, os neandertais são os pintores. Se for negativa, a dúvida continua, pelo menos até a próxima descoberta.

    Leia tudo sobre: paleontologiaarte rupestre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG