Mariposa macho virgem é apressada, diz estudo

Pesquisadores concluíram que  quando macho sente feromônio de mariposa fêmea, ele alça voo com os músculos ainda frios, prejudicando a trajetória

Alessandro Greco | - Atualizada às

José Crespo/ University of Utah
Afobado: Mariposas machos virgens põe tudo a perder quando fêmea libera feromôneo

É um caso típico de afobação. Estudo feito por pesquisadores da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, descobriu que quando a mariposa fêmea libera feromônio, machos virgens tendem a não esperar que os músculos se aqueçam para só então perseguir a fêmea. A pressa, segundo o estudo, acaba prejudicando a qualidade do voo e, com isso, o macho não alcança a fêmea.

No estudo, publicado pelo periódico cientifico Journal of Experimental Biology nesta quinta-feira (7), os pesquisadores constataram que machos da espécie Helicoverpa zea alçam voo com os músculos ainda frios, o que diminui a autonomia e pode fazê-los perder a viagem – e a cópula.


Leia também: Nova espécie de mariposa ameaça produção de vinho na Itália

“Acreditava-se que os insetos faziam seu aquecimento sempre a mesma velocidade independente do estímulo que recebessem e que decolassem quando seu tórax alcançava uma temperatura ótima para um bom voo. Nosso trabalho mostra que o pré-aquecimento em insetos (mariposas) é dependente do estímulo e que a decolagem pode ocorrer com o tórax abaixo da temperatura ideal para um voo potente. Quando uma fêmea esta por perto esses insetos arecem viver o dilema entre levantar voo rapidamente ou ter potência”, explicou ao iG Neil Vickers, um dos autores do trabalho.

Leia mais:
Moscas rejeitadas ingerem álcool para afogar as mágoas
Espírito aventureiro está nos genes, diz estudo
Inseto de dois milímetros é o animal mais barulhento da Terra
Inseto jesus utiliza antena para agarrar fêmeas e copula r
Espécie de passarinho cria ilusão de ótica para atrair fêmea
Beyoncé dá nome a nova espécie de mosca australiana

Vickers explica que os músculos usados pelos insetos para o voo estão entre os mais caros metabolicamente no reino animal. É preciso muito oxigênio para que o voo seja bem sucedido. 

Não é apenas, na cópula, no entanto, que o odor é peça fundamental para as mariposas. Basicamente boa parte da vida delas é pautada por ele. É o cheiro das flores, por exemplo, que faz com que as mariposas escolham de onde pegar o néctar.

Agora os pesquisadores querem descobrir como as mariposas fazem para controlar o aquecimento dos seus músculos.

    Leia tudo sobre: insetomariposacomportamento animal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG