Neandertais cresciam mais devagar que Homo sapiens, diz estudo

Pesquisadores criaram primeiro modelo matemático do crescimento de uma espécie fóssil

EFE |

EFE

Getty Images
Pesquisadores afirmam que neandertais tinham crescimento mais lendo que o Homo sapiens

Os neandertais cresciam mais lentamente que os Homo sapiens , segundo um estudo do Grupo de Paleofisiologia do Centro Nacional Espanhol de Pesquisa sobre a Evolução Humana (Cenieh).

O trabalho, publicado na revista especializada "Journal of Human Evolution", foi realizado com dados obtidos a partir do primeiro modelo matemático do crescimento em estatura de uma espécie fóssil.

O modelo, desenvolvido por Jesús A. Martín, pesquisador ligado ao Cenieh do Departamento de Matemática e Computação da Universidade de Burgos, na Espanha, mostra as diferenças entre o crescimento, do nascimento aos cinco anos de idade, de neandertais e de sapiens .

O esquema teórico deu origem ao artigo intitulado "Diferenças entre os modelos de crescimento de crianças neandertais e humanos modernos".

Leia mais:
Genoma prova cruzamento entre Neandertal e o homem
Neandertal e primeiro homem moderno tinham longevidade semelhante
Estudo confirma: povos de fora da África têm genes de Neandertal
Cérebros dos homens modernos e os de Neandertal diferem apenas após o nascimento

O trabalho, que comparou as alturas de 10 recém-nascidos e crianças neandertais com as de duas povoações humanas modernas, sugere que a taxa de crescimento do Homo neanderthalensis , muito mais lenta, poderia estar relacionada a "restrições ontogenéticas ou ao estresse metabólico", e contribuiria para a baixa estatura de adultos em relação ao Homo sapiens .

O artigo explica que a análise da aparição de diferentes padrões de crescimento humano é essencial para entender a evolução de nossa espécie.

A pesquisa está alinhada às últimas publicações das equipes do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva e da Universidade de Harvard, que evidenciam diferenças ontogenéticas nos desenvolvimentos craniano e dental.

O estudo abre caminho para pesquisas futuras do crescimento em outras espécies fósseis e em outras fases da vida.

    Leia tudo sobre: evoluçãoneandertal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG