Astrônoma para de procurar ETs para arrecadar fundos

Jill Tarter, que inspirou o filme "Contato", disse que vai se concentrar na arrecadação de recursos para Instituto Seti

AFP |

Getty Images
Jill Tarter começou a trabalhar no programa SETI, da Nasa, na década de 1970. Na imagem, a astrônoma em palestra no ano passado
A astrônoma americana Jill Tarter, famosa por explorar durante décadas os céus em busca de sinais de vida em outras partes do cosmo, e cujos esforços inspiraram o filme "Contato", deixará a pesquisa para se dedicar à arrecadação de fundos.

Tarter anunciou na terça-feira (22) que deixará o cargo de diretora do Instituto SETI (acrônimo em inglês para "busca de inteligência extraterrestre"), centro de pesquisas sem fins lucrativos, localizado no norte da Califórnia, para se concentrar na arrecadação de recursos para a instituição.

Leia mais:
Cientistas falam sobre procedimentos em caso de contato com ETs
Doação de R$ 322 mil retoma busca por extraterrestres
Corte orçamentário fecha instalação de busca por ETs
Cientistas tentam encontrar sinais de vida em 86 planetas
Busca por ETs deve começar por inteligência artificial

A trajetória de 35 anos de Tarter, inspiração do personagem de Jodie Foster no filme escrito por Carl Sagan e dirigido por Robert Zemeckis, em 1997, será homenageada no SETIcon, segunda reunião anual de cientistas, artistas e membros da indústria do entretenimento, que será celebrada no coração do Vale do Silício, em junho.

Os oradores da homenagem a Tarter, prevista para 23 de junho, incluem a astronauta Mae Jemison, o ator Robert Picardo, da série de TV "Star Trek: Voyager", e Frank Drake, autor da Equação de Drake, que estima o número de civilizações extraterrestres detectáveis na Via Láctea.

Tarter, de 68 anos, começou a trabalhar no programa SETI, da Nasa, na década de 1970, integrando uma pequena equipe de cientistas que desenvolviam formas de buscar sinais alienígenas com ondas de rádio.

A astrônoma continuou os esforços de busca no Instituto SETI após a retirada da Nasa do programa, em 1993.

Tarter foi incentivada em seus objetivos pelas descobertas do telescópio Kepler, da Nasa, que descobriu milhares de novos sistemas planetários.

"É muito emocionante, depois de todo esse tempo, saber onde procurar", disse à AFP.

"Todos estamos na expectativa com relação ao Terra 2.0, um planeta parecido à terra", continuou. "Todo mundo tem esta sensação de que está ali na esquina, quase de pode sentir".

O astrofísico Gerry Harp assumirá o cargo de diretor do Instituto SETI.

    Leia tudo sobre: setiets

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG