Crocodilos gigantes viveram entre ancestrais humanos

Espécie muito maior que as atuais habitou os lagos do Quênia há dois milhões de anos

The New York Times |

The New York Times
Crânio de crocodilo: répteis gigantes viveram no Quênia com os ancestrais do homem
Crocodilos gigantes, muito maiores que todos que conhecemos até agora, habitaram o Quênia há dois milhões de anos em meio a nossos ancestrais humanos, de acordo com um novo estudo.

O fóssil de um espécime de 8 metros mostra que a espécie não está estreitamente relacionada ao crocodilo-do-nilo ( Crocodylus niloticus ), como pensavam alguns cientistas, afirmou Christopher A. Brochu, paleontólogo especialista em vertebrados da Universidade de Iowa e primeiro autor do novo estudo.

Leia também:
Crocodilo gigante perambulava junto com os dinossauros
Crocodilo-do-nilo deixa de correr risco de extinção
Descoberto ancestral distante do crocodilo no RS
Descoberto antepassado do crocodilo que viveu há 130 milhões de anos

Embora os dois se pareçam, a estrutura do crânio e da mandíbula da espécie antiga é diferente.

"Existe a concepção errada de que crocodilos são fósseis vivos que não mudaram", afirmou o cientista. "Esta é uma espécie de crocodilos genuína, mas diferente de tudo que conhecemos."

Brochu e seus colegas publicaram o relatório em uma edição recente do periódico The Journal of Vertebrate Paleontology. As descobertas significam que as origens do crocodilo do Nilo continuam um mistério.

Embora os crocodilos sejam antigos, eles evoluíram de forma considerável ao longo do tempo. Atualmente, existem cerca de três a cinco espécies de crocodilos na África, mas em tempos antigos talvez houvesse duas vezes mais, afirmou Brochu.

"Eles seriam um importante elemento na vida de nossos ancestrais", afirmou. "Se existe algo dentro do lago que pode engolir uma pessoa inteira, então iremos pensar em formas de nos aproximarmos da água."

    Leia tudo sobre: fóssilpaleontologiacrocodilos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG