Biólogos esclarecem mistério de 'criatura marinha' no Golfo do México

Petrobras capturou em sua câmera submarina uma imagem inusitada, que segundo cientistas, seria uma placenta de baleia

BBC Brasil |

selo

Reprodução YouTube
Imagem da câmera submarina da Petrobras: o "animal" seria placenta de baleia
O mistério sobre um vídeo exibindo uma suposta "criatura marinha não identificada" captado por um robô da Petrobras nas proximidades do campo de Cascade, no Golfo do México, foi finalmente esclarecido por especialistas.

A pedido da BBC Brasil, biólogos brasileiros assistiram às imagens e deram o veredicto mais provável sobre o "corpo estranho". Segundo eles, pela consistência do material, a "criatura" seria, na verdade, a placenta de uma baleia recém-expelida.

"As características do material assemelham-se às da placenta de uma baleia. A coloração esbranquiçada em algumas áreas é típica do contato da carne com a água salgada do mar", diz o biólogo Marcelo Szpilman, diretor do instituto ecológico Aqualung.

"Além disso, o material não possui movimento, sendo levado pelas correntes, o que invalidaria a tese de que se trata de um animal vivo", acrescentou Szpilman.

Segundo biólogos, a placenta poderia ser de uma baleia de grande porte que habita grandes profundidades, como o cachalote. Veja no vídeo abaixo:

Hospedado no YouTube, o vídeo, de aproximadamente 6 minutos, causou alvoroço nas redes sociais, com mais de 500 mil visualizações desde que foi publicado em 27 de abril.

Em meio à polêmica, usuários do site lançaram suposições sobre o que seria a "criatura". Alguns garantiam se tratar de uma "água viva gigante"; outros, apenas de uma "rede de pesca" nas profundezas do Oceano Atlântico.

O vídeo, captado no dia 25 de abril, possui as logomarcas da Petrobras e da empresa americana Oceaneering.

Veja galeria de imagens de animais marinhos:
Cientistas divulgam resultado do censo de vida marinha

Biólogo captura beleza da vida marinha nas águas gélidas da Rússia
Fotos revelam mundo transparente e colorido dos anjos-do-mar

A Oceaneering foi contratada pela petrolífera brasileira para operar equipamentos conhecidos como ROVs (veículo submarino operado remotamente), uma espécie de minisubmarino, que, dotado de câmeras de vídeo e sensores, monitora em tempo real o funcionamento da exploração e produção de petróleo no fundo do mar.

Em outubro de 2008, vídeo de lula gigante lutando contra robô da Petrobras foi parar na internet.

A Petrobras não confirma oficialmente a autoria do vídeo.

No final de fevereiro passado, a petrolífera brasileira começou a produzir no campo de Cascade, localizado a 250 quilômetros da costa do Estado americano da Louisiana, no Golfo do México, através do poço Cascade 4.

A exploração, a 8 mil metros de profundidade vertical (sendo 2,5 mil metros de lâmina d'água), é feita através do navio-plataforma BW Pioneer, com capacidade para processar 80 mil barris de óleo e 500 mil metros cúbicos de gás por dia.
Lula gigante

Não é a primeira vez que imagens de criaturas estranhas são captadas no fundo do mar.

Gravado em 26 de outubro de 2008, um vídeo exibindo uma lula gigante enroscada em um ROV da Petrobras durante a instalação de um gasoduto na bacia do Espírito Santo foi, segundo especialistas, uma das raríssimas cenas em que se pode observar o animal vivo.

    Leia tudo sobre: golfo do méxicoanimais marinhospetrobras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG