Dinossauros herbívoros estavam em decadência quando asteroide caiu na Terra

Estudo concluiu que variedade de espécies com chifres já havia reduzido antes do impacto do asteroide

AFP |

Getty Images
Grandes herbívoros com chifres ou bico de pato reduziram sua variedade antes mesmo do asteroide atingir a Terra
Os grandes dinossauros herbívoros já estavam em decadência, ao contrário dos carnívoros, quando um meteorito provocou o desaparecimento de todos esses répteis ao cair na Terra há 65 milhões de anos, indica um estudo publicado nesta terça-feira (1).

"Muita gente acha que a extinção dos dinossauros se deveu a um asteroide que matou todos eles", afirma o paleontólogo do Museu de História Natural de Nova York, Steve Brusatte.

"Hoje podemos dizer que, provavelmente, as coisas foram mais complicadas", acrescentou.

Leia também:
Grupo de mamíferos prosperou antes da extinção dos dinossauros
Dinossauros podem ter sucumbido a mudanças climáticas
Chifre pode resolver o mistério da extinção dos dinossauros
Terra e Lua foram atingidas por asteroides maiores, revela estudo
Primeiros dinossauros tinham tamanho de gato, diz estudo
Estudo diz que reprodução por ovos causou extinção de dinossauros
Ovos de dinossauro de 67 milhões de anos são recuperados

Alguns cientistas acreditam que os dinossauros terrestres desapareceram depois que um meteorito atingiu a Terra no período Cretáceo-Terciário.

Já o estudo publicado pela Nature Communications se baseia na comparação das estruturas dos esqueletos de 150 espécies diferentes de dinossauros terrestres para ver como mudaram com o tempo. O objetivo era saber se uma espécie declinava ou, ao contrário, estava aumentando suas possibilidades de sobrevivência.

Dessa forma, chegou à conclusão de que os grandes herbívoros com chifres ou bico de pato reduziram sua variedade durante os 12 últimos milhões de ano do Cretáceo.

"Estes dinossauros estavam se tornando cada vez mais parecidos uns com os outros, estavam perdendo a variedade. No geral, quando se vê uma redução da anatomia de um tipo, isso quer dizer que o grupo está em dificuldades", assegurou.

Ao contrário, os grupos que aumentam sua variedade têm maiores possibilidades de sobreviver porque podem ocupar novos nichos de habitat ou adaptar-se melhor à mudança, segundo o pesquisador.

Até o fim do Cretáceo, os grandes dinossauros herbívoros estavam em decadência, mas os grandes carnívoros e os herbívoros de tamanho médio prosperavam.

"O que se pode dizer com seriedade agora é que, quando o asteroide caiu e começaram as erupções vulcânicas, não atingiram um mundo no qual tudo estava indo bem, um mundo estático", avaliou Brusatte.

"Naquela época, os dinossauros, ou pelo menos alguns deles, conheciam importantes mudanças evolutivas e pelo menos esses herbívoros grandes estavam em decadência", concluiu.

    Leia tudo sobre: dinossauropaleontologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG