Sobe para 31 o número de mortos por causa das chuvas

Defesa Civil dos Estados contabiliza 12 mortos em Pernambuco e outros 19 em Alagoas em razão de enchentes e deslizamentos de terra

iG São Paulo |

Subiu para 31 o número de mortos em razão das fortes chuvas que atingem os Estados de Pernambuco e Alagoas desde a última quinta-feira, dia 17. De acordo com a Defesa Civil de Pernambuco foi confirmada mais uma morte nesta segunda-feira, totalizando 12 no Estado. Pelo menos 49 cidades foram atingidas pelas chuvas, sendo que 13 decretaram estado de emergência, entre elas Cortês, Barra de Guabiraba, Palmares, Maraial e Vitória de Santo Antão.

AE
Carro é tomado por lama e fica completamente destruído na cidade de Cortês, a 112 km do Recife

O último balanço divulgado pelo órgão mostra que 17.719 pessoas estão desabrigadas e precisam contar com a ajuda da Prefeitura. Outras 24.331 estão desalojadas e morando temporariamente na casa de amigos e parentes. Ainda não há um número oficial de desaparecidos.

Muitos municípios vivem uma situação caótica e os moradores estão sem água e comida. Conforme a Defesa Civil, para amenizar a situação, já foram distribuídos 96 toneladas de alimentos e 36 de água, além de colchões e cobertores.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta segunda-feira, durante o programa de rádio Café com o Presidente, que irá liberar recursos para prestar socorro às vítimas das enchentes, mas não confirmou qual seria o valor. “Ontem [domingo] à noite eu conversei com o governador de Alagoas [Teotônio Vilela Filho], conversei com o governador de Pernambuco [Eduardo Campos], certamente eles irão hoje a Brasília para que a gente possa conversar [sobre] a medida provisória para liberar recursos para tentar evitar um mal maior”, afirmou Lula.

Lula disse que espera o tempo melhorar para dar início ao trabalho de recuperação de casas, pontes, estradas e para limpar as cidades. Ele informou que a Aeronáutica montará um hospital de campanha em Palmares (PE) para prestar atendimento às pessoas que precisam do hospital da cidade, que foi totalmente alagado.

Nesta tarde, durante a 4ª Conferência Nacional das Cidades, em Brasília, Lula anunciou que irá liberar o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para as vítimas, assim como foi feito com os Estados de Santa Catarina e Rio de Janeiro, que tiveram municípios atingidos por enchentes. “Vamos fazer com a mesma rapidez que fizemos para Santa Catarina e para o Rio de Janeiro, inclusive liberar o Fundo de Garantia daqueles que tiverem o direito e tenham sido atingidos pelas enchentes”, afirmou o presidente.

Alagoas

Em Alagoas a situação também é crítica e já chega a 19 o número de mortos. Outras 800 pessoas ficaram feridas por conta de deslizamentos de terra causados pela chuva. Destas, 50 tiveram lesões graves. A Defesa Civil procura 1.087 que seguem desaparecidas no Estado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, seis corpos foram encontrados na cidade de União dos Palmares, duas vítimas na cidade Branquinho, uma em Joaquim Gomes e outra em Quebrangulo. A identificação dos corpos ainda não foi realizada. Conforme o coordenador da Defesa Civil, coronel Neitonio Freitas, seis helicópteros trabalham no resgate às vítimas nos municípios de Santana de Mundaú e São José da Laje.

Os alagamentos causados pelas chuvas também prejudicaram o abastecimento de água em algumas cidades. De acordo com a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), as cheias do fim de semana inundaram as unidades de captação, tratamento e distribuição de água em vários municípios.

Segundo levantamento da Cosal, os municípios mais atingidos são Palmeira dos Índios, Estrela de Alagoas, Minador do Negrão, Igaci e Quebrangulo, na região Serrana, Capela, na Zona da Mata, e Ibateguara, Colônia Leopoldina, Novo Lino e Jacuípe, na região Norte. Segundo a empresa, os equipamentos danificados vão demorar, pelo menos, 15 dias para serem recuperados e voltar a operar, provisoriamente.

O governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho, decretou no domingo estado de calamidade pública no Estado por causa das enchentes.

Inverno

O inverno começou nesta segunda-feira em todo o País. No entanto, em algumas regiões o frio se antecipou à estação. De acordo com dados do Climatempo, desde o começo de maio, seis massas polares atingiram com força o centro-sul do Brasil e a sensação de frio perdurou por pelo menos 40 dias. Os termômetros chegaram a -1,1°C em General Carneiro, no sul do Paraná, e a -0,5°C em Urubici, na região serrana de Santa Catarina, no começo de junho.

Para o Nordeste do Brasil, a previsão é de um inverno com temperaturas acima da média e chuvas irregulares. Em julho os volumes acumulados ficam abaixo da média em Recife e Natal. A partir de agosto a umidade aumenta novamente. Os Estados mais chuvosos ao longo do inverno devem ser Sergipe e Alagoas.

    Leia tudo sobre: chuvaspernambucoalagoasmortosenchentes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG