Prefeituras buscam novos locais para construção de casas

Desabrigados irão participar da construção de suas novas casas em Alagoas e Pernambuco, diz ministro Jorge Félix

Agência Brasil |

As pessoas que perderam suas casas nas enchentes que atingiram os Estados de Alagoas e Pernambuco vão participar da reconstrução dos imóveis. Eles serão construídos em locais diferentes daqueles onde estavam antes de serem destruídos pela chuva.

A informação foi dada nesta quinta-feira pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Jorge Armando Félix, em entrevista ao programa Bom Dia, Ministro, da Rádio Nacional.

Ele disse que as prefeituras estão trabalhando em busca de novos locais para a construção das casas. “As pessoas que moram em casas atingidas não vão poder voltar para o mesmo lugar. Caso contrário, estaríamos condenando essas pessoas a repetir tudo daqui a dois, cinco, dez anos. Elas terão de ir para um lugar onde a probabilidade de outra enchente seja praticamente zero”, explicou.

Jorge Armando Félix disse ainda que uma das primeiras preocupações em relação às chuvas foi a questão do atendimento médico às vítimas. Segundo o ministro, em algumas cidades os postos de saúde foram totalmente destruídos. “Uma das prioridades foi a instalação de barracas ou de qualquer outro tipo de estrutura para que os profissionais de saúde tivessem condições de trabalhar e de atender. É preciso que eles tenham lugar e equipamento para trabalhar, e essa foi a prioridade”, afirmou.

Jorge Félix falou também sobre o Programa Nacional de Combate ao Crack, lançado em maio pelo governo. De acordo com ele, já foram liberados R$ 410 milhões para os ministério envolvidos no plano. Além disso, até setembro deverá estar pronta uma amostragem sobre a situação do crack no Brasil, realizada pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz). O diagnóstico vai mostrar o perfil dos usuários da droga, onde há maior número de usuários, entre outras informações.

Segundo dados do Ministério da Saúde, há 25 mil jovens em situação de extrema vulnerabilidade e mais 600 mil que fazem uso frequente do crack.

    Leia tudo sobre: chuvasalagoaspernambucodestruiçãodesabrigados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG