IML de AL recebe só 18 dos 34 mortos em enchentes

Segundo a Defesa Civil de Alagoas, alguns corpos foram enterrados de forma emergencial, sem seguir trâmites legais

AE |

Das 34 vítimas das enchentes até agora contabilizadas em Alagoas, apenas 18 corpos chegaram ao Instituto de Medicina Legal (IML) de Maceió para exames e liberação do atestado de óbito. Dos 18, quatro ainda não identificados permanecem guardados no local. Para serem oficialmente reconhecidos como mortos e enterrados, todos precisam passar pelo IML.

O coordenador da Defesa Civil de Alagoas, tenente-coronel Neotônio Santos, explica que, diante situação de caos e tragédia instaladas nos municípios atingidos pelas águas, alguns enterraram suas vítimas de forma emergencial, sem seguir os trâmites legais. 

Segundo Santos, um levantamento criterioso dos danos humanos e materiais começou a ser feito pela Defesa Civil estadual com o auxílio de equipes de Defesa Civil de São Paulo e Rio Grande do Sul, nos 15 municípios em situação de calamidade pública e nos quatro em estado de emergência.

"Esse trabalho não vai deixar nenhum indício de irregularidade, nem em relação aos danos nem em relação às mortes", afirmou Santos. O total de municípios afetados no Estado foi de 25, mas quatro deles com menor intensidade.

AE
Estragos causados pelas chuvas às margens do rio Mundaú, em União do Palmares, na Zona da Mata de Alagoas, na quarta-feira

    Leia tudo sobre: chuvasAlagoaspernambuco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG