O diretor do Instituto Médico Legal (IML) do Rio, Dr. Frank Perlini, garantiu que o trabalho de identificação dos corpos não vai parar durante a madrugada. O diretor contou que peritos de outros plantões estão se voluntariando para ajudar. ¿Neste momento estamos trabalhando com doze profissionais. Como temos sete mesas para as necropsias e levamos cerca de sete minutos na identificação de cada corpo, estamos fazendo 14 necropsias por hora¿, afirmou, explicando que este é um número muito grande, tendo em vista que em dias normais são realizadas de 25 a 30 necropsias.

Perlini informou no final da tarde desta quinta-feira (8) que já receberam 49 corpos das vítimas da chuva no Rio e 95 de Niterói e São Gonçalo desde a última segunda-feira.

Ainda de acordo com Perlini, 27 corpos do Rio já passaram pela necropsia e foram liberados. Desses, doze já saíram do Instituto Médico Legal do Rio. Vindos dos desabamentos de Niterói e São Gonçalo, 60 corpos já foram liberados e 36 já foram levados do IML.

Mesmo sem uma análise exata, o Dr. Frank Perlini disse que tem a impressão de que a maior parte das vítimas morreu por traumatismos, ao contrário das vítimas dos deslizamentos de Angra dos Reis, em janeiro de 2010, que sofreram asfixia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.