O levantamento geológico dos 28 municípios custará cerca de R$ 2,5 milhões, com verbas do Fundo Estadual de Conservação Ambiental

Departamento de Recursos Minerais do estado do Rio de Janeiro vai iniciar nos próximos meses um levantamento dos riscos geológicos em 28 municípios fluminenses considerados prioritários. Segundo o presidente do departamento, Flavio Erthal, o mapeamento será feito em duas etapas. Na primeira, que começará este mês, serão estudados os riscos de deslizamentos de encostas em 14 municípios.

A previsão é que o levantamento de riscos nessas 14 cidades esteja pronto em agosto ou setembro deste ano. No ano que vem, o mapeamento será feito nas 14 localidades restantes, segundo Erthal.
Segundo o presidente, o mapeamento geológico estava previsto desde o ano passado, antes, portanto, das chuvas que provocaram vários deslizamentos de encostas e mataram mais de 250 pessoas no estado, nas últimas semanas.

De acordo com ele, esse mapeamento funcionará como um pente fino, apenas para identificar áreas de potenciais riscos. A ideia é posteriormente aprofundar os estudos nesses locais identificados, para decidir que tipo de intervenções poderão ser feitas.

Erthal destaca que, depois das mortes em consequência dos temporais, o problema agora é evitar que a chuva faça mais vítimas. "O drama hoje é o seguinte: quem ficou ainda nas casas dependuradas, nas casas que estão com problemas, precisa ser retirado e essas áreas [devem ser] isoladas", disse.

O levantamento geológico dos 28 municípios custará cerca de R$ 2,5 milhões, com verbas do Fundo Estadual de Conservação Ambiental (Fecam). O trabalho será feito por empresas privadas, escolhidas por meio de licitação este mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.