Não sei se tenho esperança , diz mãe que espera resgate de filha, neta e irmã - Chuva no Rio - iG" /

Não sei se tenho esperança , diz mãe que espera resgate de filha, neta e irmã

Em meio à população que aguarda ansiosa o resgate de amigos e parentes no Morro do Bumba, a aposentada Ângela Oliveira, de 57 anos, espera ao menos poder enterrar os corpos da filha, de 37 anos, da neta, de 12 anos, e da irmã, de 55, que ficaram soterradas no desmoronamento.

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

Arte iG

Não sei se tenho mais esperanças de encontrá-las vivas. É muito sofrimento, diz, emocionada.

Segundo Ângela, a última vez que falou com a filha foi na noite de quarta-feira, por telefone. Preocupada com as constantes chuvas que atingem a região de Niterói, ela ligou para a filha para saber noticias.

Primeiro falei com minha neta, que disse que estava tudo bem e que a mãe dela estava fazendo comida. Logo depois falei com a minha filha, que me disse para ficar tranquila, embora tivessem algumas casas penduradas no alto do morro, relembra, muito abalada.

De acordo com Ângela, por volta das 22h, a filha de uma amiga ligou para ela avisando que o morro tinha desabado. Ela me disse para não ficar alarmada. Mas que era importante vir para cá [Morro do Bumba] porque tudo tinha vindo abaixo, diz a aposentada.

Disseram que a lama pegou minha filha quando ela estava fugindo. Ela já estaria na altura do quintal, conta, com lágrimas.

Veja imagens do morro do Bumba

Trabalho de resgate
Cinco unidades dos bombeiros, entre os quais o Grupamento Florestal com cães farejadores, foram deslocadas para o morro do Bumba. Cerca de 150 homens trabalham no local.
A tragédia no Rio já supera a ocorrida em Santa Catarina, em novembro de 2008, quando morreram 135 pessoas por causa dos temporais. A maioria dos óbitos, no Rio, foi causada por deslizamentos de terra ou desabamentos, segundo informações da Defesa Civil do Estado.
Segundo a Defesa Civil, a contagem oficial do número de mortos no Estado do Rio até as 14h30 é de 161 vítimas, sendo 52 no Rio de Janeiro, 89 em Niterói, 16 em São Gonçalo, 1 Petrópolis, 1 Magé, 1 Paulo de Frontin e 1 em Nilópolis.

Em relação ao número de feridos, a corporação informa que o número muda rapidamente. O último balanço realizado aponta 161 resgatados em todo o Estado do Rio.


Dramas e relatos


Leia também:


Leia mais sobre: chuvas


    Leia tudo sobre: chuvasrio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG