Chocólatras podem visitar museus dedicados à sua guloseima favorita

Chocólatras podem visitar museus dedicados à sua guloseima favorita Por Bruna Tiussu São Paulo, 06 (AE) - A Páscoa já vai longe, é verdade. Mas não faltam bons pretextos para chocólatras saborearem sua guloseima favorita.

iG São Paulo |

Chocólatras podem visitar museus dedicados à sua guloseima favorita Por Bruna Tiussu São Paulo, 06 (AE) - A Páscoa já vai longe, é verdade. Mas não faltam bons pretextos para chocólatras saborearem sua guloseima favorita. Com acervos interessantes e um irresistível cheirinho de cacau no ar, daquele capaz de fazer qualquer um atacar a primeira caixa de bombons que aparecer pela frente, os museus do chocolate são uma ótima desculpa para se deliciar sem remorso. Paris é a mais nova sede de um desses saborosos endereços. Em fevereiro, foi inaugurada na capital francesa a terceira filial do Museu-Gourmet Choco Story, original de Bruges, na Bélgica (a segunda fica em Praga, na República Checa). Fotos, objetos e filmes retratam os 4 mil anos de história do cacau, passando pela origem do doce até os vários métodos de fabricação. A soberba coleção de bules antigos é um dos destaques do museu. Os chamados chocolatières eram usados exclusivamente para servir chocolate quente. Há lindos exemplares de porcelana, cobre ou prata, representando, inclusive, o processo de popularização da bebida na Europa. O tour dura uma hora e meia e termina, obviamente, com uma degustação. É quando o visitante se delicia com os diferentes tipos do doce produzidos no próprio museu. Não ficou satisfeito? Como é de se esperar, todas as opções provadas estão à venda na loja para levar para casa e dar de presente. O ingresso custa 9 euros (R$ 21). Mais: museeduchocolat.fr. A Europa está muito bem servida de museus chocólatras. O Schokoladenmuseum, em Colônia, na Alemanha, permite que o visitante acompanhe a produção dos irresistíveis tabletes da marca suíça Lindt, patrocinadora do espaço. Para deleite total dos turistas, a fábrica mantém uma enorme fonte que não para de jorrar o produto. Se não pela tentação gastronômica, a visita vale pelo Schokoladenkino (cinema do chocolate), que exibe filmes publicitários que fizeram história no país e no mundo. O ingresso custa 7,50 euros (R$ 17) no chocolatemuseum-cologne.com. E NA CHINA... Uma atração dedicada ao chocolate foi lançada neste ano, quem diria, em Pequim. Para confeccionar as peças expostas no Parque Wonderland, inaugurado em janeiro na capital, os chineses importaram cerca de 80 toneladas do melhor doce belga. O local foi inspirado na fábrica do personagem Willy Wonka, do filme "A Fantástica Fábrica de Chocolate". Miniaturas de monumentos e obras de arte esculpidas com o doce são as atrações. A maior e mais exuberante é a réplica da Grande Muralha, com 12 metros de comprimento. Também estão lá os famosos guerreiros de Xian, com 20 centímetros de altura cada. Além de porcelanas da dinastia Ming. Produtos da China moderna também ganharam réplicas: bolsas, sapatos típicos e outros acessórios da moda. Sem contar o curiosíssimo carro em tamanho real. O ingresso para o parque custa 80 iuanes (R$ 20). Mais informações: english.visitbeijing.com.cn.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG