Relembre casos internacionais de violência contra criança

Notícias sobre crimes de violência contra criança por si só podem chocar e mobilizar a opinião pública. Quando a suspeita sobre o assassinato, sequestro ou estupro do menor recai sobre aqueles que mais deveriam protegê-lo, os pais, a investigação e o julgamento do crime ganham ainda mais repercussão na mídia. Relembre alguns desses casos de violência que atraíram a atenção de todo o mundo.

Nara Alves, iG São Paulo |

  • Veja fotos que marcaram o caso Isabella Nardoni
  • Infográfico: cronologia e versões do caso
  • Veja o especial do iG sobre o caso Isabella Nardoni
  • Madeleine McCann - A menina britânica desapareceu em 3 de maio de 2007, perto de completar quatro anos. Os McCann deixaram Portugal em setembro do mesmo ano após terem sido declarados como suspeitos formais no caso, por causa de supostos vestígios de Madeleine e outras provas detectadas em objetos pessoais e em um automóvel alugado pelo casal depois do desaparecimento.

    Depois que o caso foi encerrado por falta de provas conclusivas, os McCann deixaram de ser tidos como suspeitos e foram indenizados por vários veículos de imprensa britânicos que tinham informado sobre o possível envolvimento dos pais com o sumiço de Madeleine, que continua desaparecida.


    Imagem computadorizada mostra como Madeleine McCann estaria atualmente / AP

    Elisabeth Fritzl - O austríaco Josef Fritzl, de 73 anos de idade, manteve a filha Elisabeth Fritzl presa no porão de sua casa por 24 anos e a estuprou repetidas vezes. Um dos sete filhos que Fritzl teve com Elisabeth dentro do porão morreu logo após o nascimento. O austríaco é acusado de impedir que ele recebesse assistência médica. O caso foi descoberto depois que a filha mais velha de Elisabeth, Kerstin, foi levada a um hospital, vítima de falência nos rins. Três dos filhos sobreviventes cresceram no porão, enquanto os outros três foram criados pela mulher de Fritzl, que aparentemente desconhecia o caso.

    Fritzl foi considerado culpado nas acusações de estupro, sequestro e assassinato por negligência. Ele foi condenado à prisão perpétua, cumprida em um hospital psiquiátrico. Após vir à tona o caso de incesto e estupro, Elisabeth decidiu se manter afastada da opinião pública e se refugiou em uma clínica com seus seis filhos. Hoje vive em local não divulgado.

    Natascha Kampusch - Ao contrário de Elisabeth Fritzl, Natascha Kampush concedeu entrevista para televisão após passar oito anos presa em um porão. Natasha, de 20 anos, foi sequestrada em 1998 quando tinha dez anos e ia para o colégio, no norte de Viena. Durante oito anos foi mantida presa por Wolfgang Priklopil em um cativeiro, até que conseguiu fugir com seus próprios pés em agosto de 2006.

    A investigação do caso Kampusch foi encerrada precipitadamente em novembro de 2006, apenas três meses depois de a jovem conseguir escapar. Em outubro de 2008, o caso foi reaberto, com a suspeita de um segundo envolvido como principal sequestrador. Em janeiro de 2010, a Justiça austríaca considerou encerrado o caso e concluiu que Priklopil foi o único autor do crime.

    Jaycee Lee Dugard ¿ A menina foi arrastada para dentro de um carro em 1991 em South Lake Tahoe, na Califórnia. Ela tinha 11 anos de idade. Phillip Garrido, de 58 anos, e a esposa Nancy, de 54, supostos sequestradores, se declararam inocentes no caso. Pesam sobre o casal 29 acusações relacionadas a sequestro, estupro e aprisionamento. Phillip Garrido é acusado de ter estuprado a menina quando ela tinha 14 anos e ter tido com ela duas filhas, hoje com 11 e 15 anos.

    Para o padrasto da vítima, Carl Probyn, Jaycee só conseguiu sobreviver a 18 anos de cativeiro porque desenvolveu uma relação afetiva com Garrido. Este sentimento é conhecido como Síndrome de Estocolmo, uma referência ao comportamento das vítimas de uma assalto em 1973, na Suécia, que defenderam seus captores mesmo depois de libertadas.


    Capa da People de outubro de 2009 com Jaycee Lee Dugard / Reprodução


    Clique aqui para ver o infográfico

    Saiba mais sobre o caso Isabella

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG