Perito contesta laudo encomendado pela defesa do casal Nardoni

O perito criminal e jornalista Luiz Eduardo Carvalho Dorea, autor de vários livros e ex-diretor da Polícia Técnica da Bahia, prestou depoimento por cerca de 30 minutos no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo. Foi o último depoimento do segundo dia do julgamento do casal Nardoni, que será retomado nesta quarta-feira às 9h.

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |


Clique aqui para ver o infográfico

Como antecipou o iG, Dorea foi ao tribunal para contestar um laudo feito pela perita Delma Gama, que foi contratada pela defesa anterior do casal Nardoni. Segundo Dorea, um estudo seu foi usado de maneira "imprópria". Ele ainda disse que os laudos apresentados pela acusação estão corretos.

Na sessão, a advogada Roselle Soglio, da equipe de Podval, lembrou que o estudo foi feito antes de eles assumirem a defesa do casal e disse que o parecer não foi levado em consideração. O promotor do caso, Francisco Cembranelli, contestou o fato de Soglio ter organizado um curso em São Paulo usando livros de Dorea como parte da bibliografia - o que a advogada rebateu ao dizer que os estudos foram usados porque eram referências no assunto.

Dorea afirmou que pelas imagens das manchas encontradas no lençol do apartamento - apresentadas a ele por meio de fotos expostas em um painel instalado na sala de julgamento - , pode-se afirmar que Isabella estava em movimento e sangrando, a uma altura de mais de 1,25m.

O julgamento foi retomado nesta terça-feira com o depoimento da delegada Renata Helena da Silva Pontes , que foi interrogada por 4h30. Por mais de 3h, também foi ouvido o médico do Instituto Médico Legal (IML) Paulo Sérgio Tieppo Alves . Na segunda-feira, a mãe de Isabella Nardoni, Ana Carolina de Oliveira, foi ouvida por 2h30 .

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, que dormiram nas penitenciárias de Pinheiros e Santana, respectivamente, acompanham aos depoimentos.

A mãe de Isabella, Ana Carolina de Oliveira, não está presente. Ela está no Fórum da Barra Funda, incomunicável, à disposição da Justiça. Roberto Podval, advogado de defesa, não descarta realizar uma acareação entre ela e o casal Nardoni.

Este é um dos maiores julgamentos já realizados no País . A morte de Isabella comoveu o País ao colocar como os acusados de um crime bárbaro o pai e a madrasta da menina.

Sem réu confesso do crime, acusação e defesa se debruçaram nos últimos meses para preparar os argumentos que irão levar os sete jurados a inocentar ou culpar o casal.

Leia também:

    Leia tudo sobre: isabella nardoni

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG