"Me senti como uma presa algemada", diz mãe de Isabella

Ana Carolina de Oliveira ficou isolada durante os quatro dias de julgamento do casal Nardoni

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Ainda sofrendo os efeitos de ter passado três dias enclausurada no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo (mesmo lugar do julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá), mas sem poder acompanhar os depoimentos, Ana Carolina de Oliveira, mãe de Isabella, não teve condições de acompanhar o anúncio final do juiz no fórum e ficou insegura quanto ao resultado.

"Me senti como uma presa algemada", afirmou a mãe de Isabella, que está sendo acompanhada de perto pelo psicólogo José Milton Kotzdent, que trata de Anna Carolina há dois anos.

De acordo com Kotzdent, a mãe de Isabella não tem condições psicológicas de voltar para o Fórum de Santana. Por isso, ela acompanhou a decisão do julgamento em casa com alguns parentes.

Luciano Garcia / Futura Press
Ana Carolina chora na varanda de casa após a condenação do casal

Segundo o psicólogo, Ana Carolina está muito ansiosa. "A mãe de Isabella tinha sido preparada para enfrentar o julgamento, os depoimentos e até para ver as fotos da filha morta, mas não se preparou para ficar enclausurada."

Ana Carolina ficou isolada durante os quatro dias de julgamento - de segunda-feira a quinta-feira - por pedido de Roberto Podval, advogado de defesa dos Nardoni, que não descartava a possibilidade de fazer uma acareação entre ela e o casal.

Na quinta-feira, pela manhã, ela foi liberada pela Justiça após passar mal. Um psiquiatra fez uma avaliação e o juiz Mauricio Fossen determinou que ela fosse liberada. O iG divulgou com exclusividade, na quarta-feira, que a mãe de Isabella estava à beira de uma crise de depressão por causa do confinamento

    Leia tudo sobre: isabella nardoni

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG