Houve confusão na saída do casal do Fórum de Santana; algumas pessoas avançaram sobre os carros que levavam os Nardoni

Algemados, em um sinal que seriam considerados culpados pela morte de Isabella Nardoni, Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá entraram na sala de julgamento, no Fórum de Santana, em São Paulo, para ouvir a sentença dada pelo juiz Mauricio Fossen na madrugada deste sábado.

Antes de começar a leitura da sentença Anna Carolina Jatobá permaneceu um bom tempo de olhos fechados. Durante a leitura, a madrasta de Isabella ficou impassível, sentada na cadeira com as costas ereta, sem olhar para o juiz ou para alguém da família que estava na plateia.

Já Alexandre chorou um pouco antes da leitura da sentença. Quando o juiz começou a proferir a condenação, o pai de Isabella Nardoni respirou de forma ofegante e por vezes mordeu a boca, mas não voltou a chorar.

Na primeira fileira, da direita para esquerda, estavam a mãe e o pai de Anna Carolina Jatobá, a irmã de Alexandre, Cristiane, e o pai dele, Antonio. A mãe de Alexandre não esteve presente na plateia.

Ana Carolina Oliveira na janela no sua apartamento
Luciano Garcia / Futura Press
Ana Carolina Oliveira na janela no sua apartamento

Na quarta fileira, estavam os avós maternos de Isabella, José e Rosa, e os tios da menina. Ao lado de um dos tios, estava a autora de novelas Gloria Perez. Assim que foi lida a sentença, Rosa ficou de mãos dadas com o marido, encostou a cabeça no ombro do filho e se manteve assim até o final.

Houve confusão na saída do casal do Fórum de Santana. Algumas pessoas avançaram sobre os carros que levavam os Nardoni. A polícia teve de usar spray de pimenta para dispersar a multidão.

Mãe de Isabella

Ana Carolina de Oliveira, mãe de Isabella, não acompanhou o julgamento no Fórum de Santana. Segundo o psicólogo José Milton Kotzdent, Ana Carolina não se sentia bem.

Ela recebeu a notícia da condenação por uma mensagem sms e agradeceu, por viva voz, ao jurado. Minutos depois, apareceu na sacada de seu apartamento, na Vila Maria, zona norte de São Paulo. Chorando, ela acenou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.