intimida - Caso Isabella Nardoni - iG" /

Advogado de defesa chora e afirma que promotor o intimida

Roberto Podval, advogado de defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, chorou durante a sua argumentação e afirmou que se sente intimidado com a experiência do promotor Francisco Cembranelli. Podval falou por duas horas e trinta minutos. Agora começará o debate entre promotoria e defesa.

Lecticia Maggi, iG São Paulo |


Clique aqui para ver o infográfico

O casal é acusado da morte de Isabella Nardoni. Os dois são julgados desde segunda-feira no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo. A expectativa é que a sentença seja anunciada à 1h da madrugada deste sábado.

Durante argumentação, Podval questionou a investigação e o trabalho da perita Rosâgenla Monteiro, do Instituto de Criminalística. Três pontos foram destacados pelo advogado: o fato de não ter sido investigado o sumiço da chave do apartamento; não ter sido feito exame na unha de Anna Carolina Jatobá (já que encontraram marcas de unha no pescoço de Isabella); e o motivo da perícia não ter analisado gotículas de sangue encontradas na porta do quarto da menina.

Podval, que já participou de 15 júris e venceu 13, afirmou que defender o casal foi "uma das missões mais difíceis que ele já teve como profissional"

Antes de Podval, o promotor Francisco Cembranelli defendeu a sua tese por duas horas e trinta minutos para a morte de Isabella. Ele disse que a versão do casal Nardoni "não faz sentido" , criticou o trabalho da defesa e foi irônico ao falar sobre a hipótese da terceira pessoa no crime.

Ana Carolina de Oliveira, mãe de Isabella Oliveira, não assiste ao júri, segundo sua advogada, por estar muito "debilitada". Ela disse, por meio da advogada, que "apesar de não ter tido a oportunidade de acompanhar o júri, espera que a Justiça seja feita ".

Acusações

O casal é acusado de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima. Se condenados, a pena de Alexandre Nardoni será maior que a de Anna Carolina Jatobá, por ser um homicídio contra um descendente.

Na quinta-feira, os dois negaram as acusações contra eles. Em interrogatório, choraram, chegaram a sensibilizar parte do jurado e fizeram acusações contra a equipe policial que cuidou do caso. Houve algumas contradições entre os depoimentos de Anna Carolina e Alexandre Nardoni. ( veja como foi o quarto dia de júri ).

Leia também:

    Leia tudo sobre: nardoni

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG