Semana da Crítica celebra 50 anos no Festival de Cannes

Comemoração terá depoimentos de diretores que já passaram pelo evento; retrospectiva passará pelo Brasil

Mariane Morisawa, enviada especial a Cannes |

Divulgação
Cena do filme "17 Girls", de Delphine e Muriel Coulin
Ao longo de sua história, a Semana da Crítica, mostra paralela ao Festival de Cannes 2011 , apresentou ao mundo muitos jovens cineastas: Bernardo Bertolucci, Wong Kar-Wai, Jacques Audiard, Alejandro González Iñarritú, Barbet Schroeder. Em sua 50ª edição, a Semana da Crítica faz um retrospecto, sem deixar de olhar para a frente como sempre fez – a mostra acolhe apenas cineastas em seu primeiro ou segundo longa.

O Festival de Cannes acontece entre 11 e 22 de maio.

A celebração se dá em várias frentes. Uma coleção de 50 vídeos com depoimentos de diretores foi preparada, assim como uma revista especial e cinco pôsteres com cenas de filmes de cineastas revelados pelo evento. Retrospectivas dos longas exibidos na mostra rodam o globo, fazendo paradas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e no Museum of Modern Art de Nova York em agosto.

Pela primeira vez, haverá um júri, presidido pelo cineasta Lee Chang-dong (“Poesia”) e formado pelos críticos internacionais Scott Foundas (Film Comment, dos EUA), Nick James (Sight and Sound, Reino Unido) e Cristina Piccino (Il Manifesto, Itália). Eles vão conceder o Nespresso Grand Prize, acompanhado de 8.000 euros (R$ 18,8 mil), a um dos sete longas-metragens de diretores estreantes ou quase.

Divulgação
Cena de "The Slut"
Se na competição principal do Festival de Cannes comemora-se a presença do recorde de quatro diretoras entre 20 concorrentes, aqui há três mulheres: as francesas Delphine e Muriel Coulin passam “17 Girls”, enquanto a israelense Hagar Ben Asher exibe “The Slut”.

Os outros participantes são o argentino Pablo Giorgelli com “Las Acacias”, o búlgaro Konstantin Bojanov com “Avé”, o chinês Zou Peng com “Sauna on Moon”, o australiano Justin Kurzel com “Snowtown” e o americano Jeff Nichols com “Take Shelter”.

Nas sessões especiais, as garotas dominam. A noite de abertura tem “La Guerre est Declarée”, da francesa Valérie Donzelli, que se baseou numa história pessoal, e a noite de encerramento exibe “Pourquoi tu Pleures?”, da francesa Kátia Lewkowicz. A sessão dos 50 anos traz “My Little Princess”, dirigido por Eva Ionesco. com Isabelle Huppert no elenco.

Jonathan Caouette, de “Tarnation”, apresenta “Walk Away Renée”, sobre sua relação conturbada com a mãe. E Spike Jonze e Simon Cahn mostram “Mourir Auprès de Toi”, um curta-metragem de animação em que personagens dos livros ganham vida numa antiga livraria.

Os curtas e médias também têm presença importante na seleção. São dez filmes, entre eles o brasileiro “Permanências”, de Ricardo Alves Júnior, competindo pelo Kodak Discovery Award, a ser escolhido pelo júri presidido pelo cineasta polonês Jerzy Skolimowski.

    Leia tudo sobre: Cannescinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG