“Piratas do Caribe 4” é recebido com frieza em Cannes

Poucos risos foram ouvidos durante a exibição da quarta aventura do capitão Jack Sparrow

Mariane Morisawa, enviada especial a Cannes |

Cannes pode ser uma plateia difícil – ainda mais às 8h30 da manhã de um sábado. E “Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas”, que estreia na próxima sexta-feira (20 de maio) no Brasil e participa do Festival de Cannes 2011 fora de competição, não conseguiu quebrar o gelo com o público.

Poucos risos foram ouvidos durante a quarta aventura do capitão Jack Sparrow (Johnny Depp). E olha que ele novamente apronta mil e uma, começando por fingir-se de juiz em seu próprio julgamento, passando por uma perseguição incrível em cima de carruagens em Londres e por uma balbúrdia na sala em que encontra o rei da Inglaterra.

Depois de escapar, ele termina obrigado a colaborar com um velho amor, Angélica (Penélope Cruz), filha de ninguém menos que o terrível Barba Negra (Ian McShane), na busca pela fonte da juventude – e os ingleses liderados por Barbossa (Geoffrey Rush) e os espanhóis estão atrás da mesma coisa.

No fundo, é a mesma coisa de sempre, menos a criatividade de Gore Verbinski. Desta vez, o diretor é Rob Marshall, de musicais como “Chicago” e “Nine”, e o resultado é um pouco mais duro, ainda que haja algumas boas sequências de ação.

O personagem novo mais promissor é Angélica, uma mulher durona que coloca Jack em seu lugar. Já o missionário Philip (Sam Claflin), totalmente sem conflitos, não diz a que veio, nem quando se apaixona por uma sereia boazinha (Astrid Berges-Frisbey) – aqui, normalmente, as sereias não são nada parecidas com as dos desenhos da Disney. Quem sabe na próxima aventura, quando Jack Sparrow voltará a procurar o Pérola Negra?

null

    Leia tudo sobre: Cannesjohnny depppenelope cruzpiratas do caribe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG