Tamara Drewe fora de competição em Cannes e falou ao iG" / Tamara Drewe fora de competição em Cannes e falou ao iG" /

"Foi libertador adaptar graphic novel", diz Frears

Diretor inglês apresentou a comédia Tamara Drewe fora de competição em Cannes e falou ao iG

Mariane Morisawa, enviada especial a Cannes |

O inglês Stephen Frears ( Cheri , A Rainha ) está aliviado de vir a Cannes fora de competição, com Tamara Drewe , uma comédia baseada na graphic novel de Posy Simmonds. Ele se lembra com bom humor da vez em que foi presidente do júri, em 2007 – a Palma de Ouro foi para o romeno 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias . “Foi bom, eu tinha até guarda-costas. Não sabia que havia alguma ameaça, mas eu tinha guarda-costas!”, disse em entrevista ao iG na manhã desta quinta-feira (20).

Em Tamara Drewe , a protagonista do filme (interpretada por Gemma Arterton) é uma mulher moderna, que transita entre três homens quando volta à sua pequena vila natal: o escritor Nicholas (Roger Allam), o jardineiro Andy (Luke Evans) e o roqueiro Ben (Dominic Cooper). Frears falou – sempre de forma econômica – sobre seu novo trabalho, uma comédia sobre a classe média inglesa:

Getty Images
Stephen Frears em Cannes: "Não votava na época do Tony Blair, ele é um imbecil"
Como foi adaptar uma graphic novel feminina?
Acho o trabalho de Posy Simmonds brilhante. É uma graphic novel feminista. Para mim foi muito libertador adaptar uma graphic novel. Como seus quadros já eram tão fechados nas cenas, para mim foi bom.

Conhecia o trabalho?
Já tinha lido no jornal The Guardian , mas nunca havia imaginado que poderia ser um filme. Até tenho um pouco de vergonha de dizer que não tinha feito a conexão. Quando li o roteiro, achei incrível.

É difícil ver um filme sobre a burguesia inglesa, não?
Não existem produções sobre a classe média, só sobre trabalhadores ou a classe mais alta. Eu acho que é porque nós todos somos da classe média, então as outras classes parecem muito mais interessantes. É bem estranho isso, porque o [diretor francês Claude] Chabrol, por exemplo, fez filmes sobre a classe média.

Você disse uma vez que nunca votava. Votou desta vez (nas eleições parlamentares britânicas)?
Não votava na época do Tony Blair, porque ele é um imbecil. Mas desta vez votei numa deputada que foi contra a Guerra do Iraque, do Partido Trabalhista. Acho que a eleição de agora foi milagrosa. David Cameron é mais liberal do que os trabalhistas em muitos aspectos. Até porque muitas coisas vieram da estupidez do Tony Blair. Estou otimista.

    Leia tudo sobre: Festival de CannesStephen Frears

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG