"Achei que não faria mais filmes", confessa Bernardo Bertolucci

Homenageado com Palma de Ouro honorária, diretor italiano, em cadeira de rodas, prepara longa-metragem filmado em 3D

Mariane Morisawa, enviada especial a Cannes |

Bernardo Bertolucci já esteve quatro vezes em Cannes, mas nunca recebeu a Palma de Ouro. Na noite desta quarta-feira (11), aos 71 anos, ele será o primeiro a ser agraciado com a Palma de Ouro honorária . “Temos o orgulho e o privilégio de ter Bernardo Bertolucci aqui”, disse o delegado-geral da 64ª edição do Festival de Cannes , Thierry Frémaux. “Quentin Tarantino disse que a lista de ganhadores da Palma de Ouro é impressionante, mas talvez a de não ganhadores seja ainda mais”, completou, lembrando que Ingmar Bergman também nunca levou o prêmio.

Siga o iG Cultura no Twitter

Em cadeira de rodas desde problemas sucessivos e uma cirurgia malsucedida na coluna, o cineasta italiano agradeceu ao festival. “Não é um júri que me deu esse prêmio, é o festival como um todo, Thierry e Gilles quiseram reconhecer alguém que esteve aqui quatro vezes e não ganhou a Palma”, afirmou. Ele receberá a Palma Honorária das mãos de Robert De Niro, presidente do júri e ator de seu filme “1900”. “Vai ser maravilhoso. Bob é muito lacônico, ele não fala muito. Se ele fizer um discurso, vai ser um milagre! Na época do ‘1900’, os jornalistas ficavam desesperados porque às vezes não conseguiam uma palavra dele!”, contou.

O cineasta comentou sobre a exibição de “O Conformista” na seção Cannes Classics. “Não sei quem escolheu. Estou feliz porque o filme não é visto há muito tempo. Não participei da restauração, confio totalmente nos profissionais de Bolonha. Adoraria que alguma Cinemateca me restaurasse, em vez de só meus filmes!”, disse, com bom humor.

Mas ficou mais feliz de falar sobre o futuro. Ele prepara o filme “Io e Te”, baseado no livro de Nicolo Ammaniti , sobre um adolescente e sua meio-irmã, no porão de uma casa. “Nos últimos seis anos, tinha certeza de que não faria mais filmes. Minha condição, que todos podem ver, me fez achar que era o fim. Depois, eu pensei que mesmo em cadeira de rodas eu poderia filmar.”

O filme será rodado em 3D. “Vi ‘Avatar’ e fiquei encantado. Pensei: mas por que é bom só para ficção científica? Se ‘8 e ½’, de Fellini, fosse em 3D, não seria incrível? ‘Persona’, do Bergman? Comecei a fazer testes, aí vi 'Pina' e sei que tem um filme do Herzog em 3D, achei estranho que três europeus mais ou menos da mesma escola de pensamento estão todos atraídos por 3D.”

Leia também: Bernardo Bertolucci recebe Palma de Ouro honorária

Ele também se mostrou animado com a nova geração do cinema italiano, formada por Paolo Sorrentino (que está na competição), Matteo Garrone (de “Gomorra”) e Emmanuele Crialese. “Eles estão preocupados em refletir sobre o cinema.”

Ao final, Bernardo Bertolucci arrancou aplausos ao dizer: “Obrigado a todos por terem vindo. Não tenho um filme novo comigo, então vocês não têm nada fresco sobre o que escrever”.

null

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG