"A vida é maior do que tudo", diz Alessandra Negrini

No Festival de Cannes, a atriz falou com o iG sobre "O Abismo Prateado", filme inspirado em canção de Chico Buarque

Mariane Morisawa, enviada especial a Cannes |

Divulgação
Alessandra Negrini em "O Abismo Prateado"
Alessandra Negrini está em Cannes pela primeira vez - e divertindo-se muito. Na noite da segunda-feira (16), enfrentou as famosas escadarias do Grand Thêátre Lumière. "É um teatro", ela disse. "O nosso foi rapidinho, mas por mim eu ficaria lá", afirmou, rindo.

A atriz, protagonista e praticamente personagem único de "O Abismo Prateado" , de Karim Aïnouz, falou ao iG sobre a experiência.

iG: Com tantos filmes sobre lados bem obscuros da humanidade, esse é um sopro de alívio?
Alessandra Negrini:
O Karim Aïnouz é um humanista. O filme não é catastrofista, nem perverso. Há dor, mas também beleza na dor. "Ela vai se encontrar refeita, pode crer." A vida é maior do que tudo.

iG: Foi difícil não ter com quem contracenar na maior parte do tempo?
Alessandra Negrini:
Tive de pesquisar esse estado de ardor no peito, esse vazio, como habitá-lo. O que entrou como figura, como ente, foi a cidade. O mar, o túnel. Foi com esses entes que contracenei. Eles têm uma função simbólica. Quando está no túnel, ela é o túnel. Quando está no mar, ela é o mar.

iG: Para você, é mais importante a experiência que vai ter com o personagem ou com o diretor?
Alessandra Negrini:
Com o diretor. Com o Karim, não havia nem roteiro ainda. Mas é o Karim, e isso basta, já me interessa. Outros filmes, com diretores menos conhecidos, é o roteiro.

iG: Antes de virem a Cannes, vocês encontraram o Chico Buarque, cuja música “Olhos nos Olhos” serviu de inspiração para o filme. Como foi?
Alessandra Negrini:
Bem divertido. É uma responsabilidade, mas fizemos nossa parte. Esperamos que ele goste e sinta-se homenageado.

iG: Quais são seus projetos agora?
Alessandra Negrini:
Devemos levar a peça “A Senhora de Dubuque”, que estava em cartaz em São Paulo, para o Rio. Mas quero dar uma parada de alguns meses. Emendei o filme com a peça e preciso dar um tempo.

    Leia tudo sobre: Festival de Cannescinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG