'Festival de Cannes deveria parar de crescer', diz presidente

Gilles Jacob, no entanto, afirma que a situação é 'quase impossível de ser solucionada'

AFP |

Getty Images
O presidente do festival, Gilles Jacob
O Festival de Cannes deveria "parar de crescer", afirmou seu presidente, Gilles Jacob. Ele ressalta, contudo, que a situação é "quase impossível de ser solucionada" e que os artistas fazem apenas o combinado.

"Teria de parar de crescer para não se tornar um incômodo. Cannes é a cidade mais bonita que recebe um festival de cinema, mas precisa continuar a ser um prazer, não uma restrição", declarou Jacob em entrevista ao jornal Nice Matin.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Ao mesmo tempo, cada vez mais pessoas e meios de comunicação querem vir, não podemos proibi-los. É quase impossível de se solucionar", observou o presidente do Festival de Cinema de Cannes. Ele, como o responsável geral Thierry Fremaux, foi reconduzido para mais um mandato de três anos, até 2014.

"Anteriormente, Kirk Douglas jogava futebol com os jornalistas e víamos as celebridades atravessando a Croisette para chegar à praia", acrescentou Gilles Jacob. "Para o público, a magia está intacta (...), mas hoje há todo um ambiente ao redor, agentes, gerentes, empresários, e os atores se movem em limusines de vidros escuros", lamenta o presidente do Festival Cannes.

Leia também: "Kerouac mostrava que é preciso viver à flor da pele", afirma Walter Salles

"Quando eles descem as escadas, alguns conversam com as pessoas, outros não. Muitos fazem apenas o que foi combinado, passam um dia curto com a imprensa, e vão embora. É quase uma fábrica. Falta humanidade", afirma.

    Leia tudo sobre: Festival de Cannescinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG