Ken Loach critica 'obsessão inglesa' com palavrões

Diretor terá de cortar algumas expressões do filme 'The Angel's Share' para que possa ser exibido para menores de 18 anos

Mariane Morisawa, enviada especial a Cannes |

Falado com sotaque escocês, “The Angel’s Share” , de Ken Loach, vai ter de cortar alguns palavrões em relação à versão exibida no Festival de Cannes 2012 para a estreia na Inglaterra.

“Senão o filme ia pegar censura 18 anos. Outros longas nossos tinham cenas de tortura, com unhas sendo arrancadas e pessoas sendo afogadas, e a censura era 15 anos”, disse a produtora Rebecca O’Brien.

Divulgação
Cena de 'The Angel's Share', de Ken Loach

Eles tiveram a permissão de usar sete vezes a palavra “cunt” (o equivalente a “boceta”) desde que apenas duas tivessem conotação agressiva. “A classe média inglesa é obcecada com a ‘linguagem obscena’. Eles usam a linguagem manipulativa na política, mas não permitem que a gente reproduza a linguagem dos jovens na tela”, afirmou Ken Loach.

Leia também: Ken Loach faz comédia subversiva sobre crise e uísque

O roteirista Paul Laverty criticou Jeremy Hunt, ministro da Cultura do Reino Unido, envolvido no escândalo de escutas ilegais do jornal “News of the World”. “Com sorte, ele não vai durar muito no governo.”

O protagonista Paul Brannigan, que não é ator profissional, disse que conhece muito de perto a realidade de seu personagem, Robbie, um jovem desempregado que vive metido em brigas.

Veja também: A segunda-feira de Cannes em imagens

“Para ser honesto, há milhares de garotos como esse em Glasgow. Paul Laverty me chamou e me salvou. Eu estava precisando de dinheiro, tinha pego um empréstimo. Quem sabe o que eu teria feito por dinheiro se não fosse essa chance?” Ele acabou de rodar um filme com Scarlett Johansson.

    Leia tudo sobre: Festival de CannescinemaKen Loach

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG