Cientista político Louremberg Alves disse acreditar que denúncias são apenas "estratégias de marketing¿

As representações eleitorais que os candidatos ao governo de Mato Grosso começam a travar no campo jurídico não deverão ter continuidade pós-eleição.

A avaliação é do cientista político Lourembeg Alves, para quem as denúncias feitas pelos candidatos Silval Barbosa (PMDB), Wilson Santos (PSDB) e Mauro Mendes (PSB) são 'estratégias de marketing e dificilmente resultam em punição'.

"É pouco provável que os recursos continuarão a ter andamento até porque as denúncias são efusivas nesse momento. Será muito raro algum candidato dar continuidade depois do dia 3 de outubro", destacou.

Louremberg ressalta que os ataques e críticas mútuas têm o objetivo de desqualificar os concorrentes ao Palácio Paiaguás e mostrar aos eleitores outra eventual face do adversário que está na liderança da disputa.

O governador Silval Barbosa (PMDB) tem incomodado os rivais por contar com 38% dos votos, conforme a pesquisa Vox Populi.

Pesa contra o peemedebista a acusação de que ele estaria usando a máquina para comprar apoio de prefeitos de partidos que compõem coligações adversárias.

O candidato Mauro Mendes (PSB) chegou, inclusive, a protocolar pedido de inquérito na Polícia Federal para que o caso seja apurado.

A provocação fez com que o peemedebista recorresse à Justiça com uma queixa-crime e uma ação com pedido de indenização por danos morais contra o candidato do PSB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.