Zilda era filha preferida do Unicef, diz representante

A representante no Brasil do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Marie-Pierre Poirier, esteve no início desta tarde no velório da médica sanitarista e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, no Palácio das Araucárias, sede do governo do Paraná, em Curitiba. Bastante emocionada, ela disse que o Unicef perdeu um membro de sua família. A filha preferida, afirmou Marie-Pierre.

Agência Estado |

Ela contou que a Pastoral da Criança foi um desafio que o Unicef criou para implementar as políticas que a organização tinha no Brasil. Para isso, o organismo pediu a ajuda de d. Paulo Evaristo Arns, que convocou a irmã para enfrentar esse desafio.

Marie-Pierre avaliou que a experiência foi tão bem-sucedida que hoje está presente em mais de 20 países, principalmente na América Latina e na África, com parcerias do Unicef.

Médica pediatra e sanitarista, Zilda Arns foi fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança. Irmã do cardeal-arcebispo emérito de São Paulo, d. Paulo Evaristo Arns, ela dedicou sua vida a trabalhos de solidariedade e ao combate à desnutrição infantil. Em 1983, a pedido do irmão, fundou a Pastoral da Criança, entidade que tem apoio do Unicef e atua em 27 países. Também estava envolvida na coordenação da Pastoral da Pessoa Idosa.

Zilda nasceu em Forquilhinha (SC), era viúva e deixa quatro filhos: Rubens, Nelson, Rogério e Heloísa.

No Haiti, Zilda participava da Conferência dos Religiosos e acompanhava o início dos trabalhos da Pastoral da Criança no país.

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haititerremotozilda arns

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG