Yeda vai a Brasília buscar apoio contra denúncias

BRASÍLIA - A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), iniciou reunião no Lago Sul, em Brasília, com o advogado Eduardo Ferrão, o mesmo que trabalhou nas defesas do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), quando foi acusado de cometer irregularidades no Senado, e do governador cassado da Paraíba, Cassio Cunha Lima (PSDB).

Agência Estado |

Yeda foi a Brasília à procura de apoio. Ela está sendo acusada de uso de caixa dois, na campanha eleitoral de 2006.

Mais cedo, Yeda tomou café da manhã com o líder do PSDB na Câmara, José Aníbal (SP), que ontem defendeu sua colega de partido, em discurso no plenário.

AE

Yeda Crusius durante coletiva no sábado no Palácio Paratini

Nesta tarde ela se encontrará com o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e ainda hoje deve se encontrar com o presidente do PSDB, Sérgio Guerra.

Denúncia

Reportagem publicada na edição da revista "Veja" denunciou a prática de caixa 2 pela governadora. Conforme a publicação, Carlos Crusius, o marido da governadora na época da campanha eleitoral teria recebido, logo após a eleição de Yeda, a quantia de R$ 400 mil de duas fabricantes de cigarro.

O dinheiro teria sido utilizado no pagamento de contas pessoais do casal e na compra de uma casa em bairro nobre de Porto Alegre. A denúncia, segundo a "Veja", aparece em uma gravação feita por Lair Ferst, antigo aliado tucano, parte fundamental na campanha de Yeda ao Piratini e réu em processo sobre fraude milionária do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS).

Leia também:

Leia mais sobre: Yeda Crusius

    Leia tudo sobre: yeda crusius

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG