Yeda faz balanço de governo e ameniza crise política

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), fez hoje um balanço de 30 meses de gestão e amenizou crises políticas que enfrentou nesse período. O Brasil sabe que o Rio Grande do Sul, não é diferente quem sabe em outros lugares, vive em turbulência política, declarou, durante discurso.

Agência Estado |

"Vive em efervescência política", acrescentou a governadora, que teve de contornar, na véspera do balanço, a vontade do secretário de Transparência e Probidade Administrativa, Carlos Otaviano Brenner de Moraes, de deixar o cargo, sob pressão de opositores que cobram medidas de sua pasta sobre denúncias envolvendo o governo.

Yeda anunciou que o governo fará um encarte mensal de "prestação de contas" nos jornais do Estado e lançou um portal na internet para apresentar os gastos realizados nos principais programas de sua gestão. Segundo o governo, o objetivo é aplicar R$ 4,4 bilhões entre 2008 e 2010 em programas chamados de "estruturantes". A governadora disse que já foram realizados R$ 767 milhões desta previsão e R$ 1,172 bilhão estão em andamento, somando R$ 1,940 bilhão. P

Prometendo manter o ajuste fiscal, Yeda disse que "resistiremos às tentativas de anular tudo o que a população já sabe que é um direito dela". Ao abordar pressões que tem sofrido - sem especificar a quais se referia -, disse que "este Piratini, como tratam nossa cultura e nossa história, é um palácio de resistência", numa referência à sede do Executivo. "E, portanto, cada ação de cada dia resiste ao retrocesso", concluiu.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG