Yeda diz lamentar que denúncia ocorra após demissão

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, disse lamentar que as denúncias feitas hoje pelo ex-ouvidor da Segurança Pública do Estado, Adão Paiani, não tenham sido feitas quando ele ainda estava no cargo. Paiani denunciou a existência de escutas ilegais praticadas por agentes públicos e, ao mesmo tempo, discussões de favorecimentos políticos entre funcionário próximo ao gabinete da governadora e pessoas ligadas a prefeituras do interior do Estado reveladas pela espionagem.

Agência Estado |

O chefe da Casa Civil, José Alberto Wenzel, afirmou que, se o ex-ouvidor souber de qualquer irregularidade, tem obrigação de apontá-la às autoridades. A Secretaria da Segurança Pública decidiu abrir um inquérito para apurar as denuncias e encarregou a delegada Adriana Costa de comandar as investigações.

Exonerado na terça-feira sem sequer ter sido comunicado formalmente pela governadora - soube por terceiros que leram o Diário Oficial -, Paiani decidiu entregar à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RS) o relatório que preparava para o Executivo, no qual aponta as irregularidades. "Não sou mais ouvidor, meu compromisso é com a sociedade", afirmou, ao encaminhar o material ao presidente da Seccional Rio Grande do Sul da OAB, Cláudio Lamachia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG