Yeda Crusius busca apoio e apresenta defesa para presidente do PSDB

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), está em Brasília nesta quarta-feira e trouxe uma série de documentos para o presidente nacional de seu partido, Sérgio Guerra (PE). De acordo com ela, o material prova que todas as denúncias feitas sobre caixa dois em sua campanha são falsas. O encontro com Guerra acontece um dia após o tucano tentar se afastar do diretório regional da legenda dizendo que ¿a operação nacional é uma e a local outra¿.

Severino Motta |

Trouxe documentos, o primeiro é aprova da idoneidade da compra da Casa [de sua propriedade, sob a qual existem acusações de que foi comprada com recursos de caixa dois], disse. O segundo mostra que as doações da indústria [do tabaco] não foram de R$ 400 mil mas de R$ 796 mil, por dentro, completou.

Questionada se se sentia abandonada dentro do partido desde que ressurgiram as denúncias de uso de caixa dois em sua campanha, e devido às declarações de Guerra, Yeda disse que não. O partido nunca deixou de me apoiar, tem gente que pretende intrigar, mas o apoio é mutuo e a confiança é mútua. Ao contrário dos que gostam de intriga, continuamos confiantes mutuamente.

AE

Sobre a possível instalação de uma CPI no Rio Grande do Sul para investigá-la, Yeda disse que não vê o por que da instalação. Segundo ela, todas as provas de sua lisura foram apresentadas e, a partir de agora, vai tratar o assunto como encerrado.

A governadora não pode ficar respondendo três anos seguidos, disse. Quem vai ir atrás das implicações das denúncias sem provas é o advogado que constituí, completou, dando a entender que vai processar a revista Veja, que fez as últimas denúncias sobre um suposto caixa dois.


Leia também:


Leia mais sobre:
Yeda Crusius

    Leia tudo sobre: yeda crusius

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG