SP registra recorde de lentidão desde início do rodízio de caminhões" / SP registra recorde de lentidão desde início do rodízio de caminhões" /

Xingar no trânsito rende indenização de até R$ 5 mil; você concorda?

O trânsito de São Paulo encontra-se entre os mais engarrafados do mundo. Na manhã desta sexta-feira, mais um recorde foi quebrado: a cidade registrou o maior congestionamento desde a implantação do rodízio de caminhões, em junho deste ano, com 181 quilômetros de lentidão. Em meio a tanto estresse e horas perdidas dentro dos automóveis, os motoristas de São Paulo perdem a calma e muitas vezes a educação. Mas ¿bater boca¿ na rua pode sair bem caro. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/24/sao_paulo_registra_recorde_de_lentidao_desde_inicio_do_rodizio_de_caminhoes_2066937.html target=_topSP registra recorde de lentidão desde início do rodízio de caminhões

Marina Morena Costa, do Último Segundo |

Acordo Ortográfico

Neste mês, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) concedeu duas indenizações a mulheres que foram ofendidas no trânsito da cidade, Elza Maria Oliveira dos Santos e Marcelina Ferreira Lopes. Segundo informações do Tribunal, em março de 2007, Elza Maria parou seu veículo num semáforo e foi surpreendida por gritos e xingamentos do motorista que estava atrás de seu carro. O motorista mal-educado chegou a colocar a cabeça para dentro do carro de Elza e, aos berros, continuou com os insultos. Não contente, o homem ainda bateu na traseira do carro da vítima e abandonou o local. Elza receberá uma indenização de R$ 3 mil por danos morais e materiais.

AE
Carreta tombada complica trânsito em São Paulo
Marcelina Ferreira Lopes foi ofendida com xingamentos por um motorista de ônibus da companhia Viplan, em Brasília. Segundo o Tribunal, Marcelina tem problemas de locomoção, por causa de uma deficiência na coluna vertebral, e permaneceu em pé antes da roleta, contrariando o motorista que passou a insultá-la. A empresa de transporte público pagará à vítima uma indenização de R$ 5 mil.


Se a idéia pegar em São Paulo, muita gente será multada, na opinião do motorista de táxi Pedro Moreira Cassemiro, de 48 anos. Ele conta que discussões acontecem com frequência no trânsito paulistano: Um motorista me xingou uma vez e eu nem pude revidar porque estava com passageiro. Ele disse palavras de baixo calão e me perguntou quem você pensa que é? Você é taxista, não tem moral!. Me senti bastante humilhado ao ser tratado daquela forma na frente de um cliente. Seria bom se tivesse uma lei que acabasse com isso.

Há 26 anos trabalhando nas ruas da cidade, Pedro Moreira Cassemiro avalia que a situação ficou insuportável nos últimos cinco anos. Antônio César Ferreira, 38 anos, funcionário público concorda que o trânsito é enlouquecedor.

- Reprodução
Motoristas sofrem nas grandes cidades
Quando está tudo parado, as pessoas se desesperam e começam a fazer contravenções proibidas ou a se enfiar onde não cabem. Nessas horas, quem está dirigindo corretamente fica p da vida! Em alguns casos eu xingo mesmo, porque detesto gente folgada. Tem motorista que joga o carro no cantinho, nas faixas brancas de sinalização e vai tentando passar na sua frente. Se tivesse uma lei dessa, acho que eu teria umas multas, conta.


Danos morais

A comerciante Maria Cláudia Magalhães, 28 anos, relata uma das inúmeras discussões que teve no trânsito: Saí do sério uma vez, quando um motorista gritou pra mim: coitado do seu marido?. Coitado por quê? E quem foi que te disse que eu tenho marido?, gritei de volta. Aí começou o maior 'bate-boca'. Será que eu poderia processá-lo por machismo?.

Já Cláudia Siqueira, 45 anos, professora de inglês, denunciou um motorista mal-educado. Um carro tentar entrar na minha frente de um jeito muito irresponsável, o motorista jogou o carro dele, sendo que a preferência era minha. Só de birra, não dei passagem. Desviei do bico do carro dele e continuei. Ele me provocou: Assim vai bater. E eu respondi: A culpa vai ser sua, porque a preferência é minha. Fiquei chocada quando ele disse: O prejuízo maior será seu, porque eu estou com o carro da firma. Discutimos mais um pouco, ele me xingou e eu anotei o nome da empresa onde ele trabalhava. Liguei lá quando cheguei em casa e esculhambei o motorista. Dei a descrição do carro e a placa. Acho que minha atitude foi mais eficiente do que uma multa.

Problemas no trânsito podem causar até transtornos psicológicos. A estudante de farmácia Patrícia Teixeira conta que teve pânico de dirigir depois de bater o carro em um ônibus e ser xingada pelo motoristas e pelos passageiros: Os corredores de ônibus de São Paulo tem alguns pontos críticos, onde carros e ônibus se cruzam. Uma vez eu tentei sair da faixa que virava corredor, mas não consegui porque ninguém me deu passagem. Nisso veio um ônibus e bateu no meu carro. O motorista desceu me chamando de burra, os passageiros também reclamavam e xingavam. Foi horrível, traumatizante. Depois disso demorei meses pra dirigir novamente. Pensando bem, eu merecia uma indenização por danos morais!.


Você acha justo pagar indenização por xingar no trânsito?


Sim

Não



A consulta é realizada somente entre internautas e não tem valor de amostragem científica

    Leia tudo sobre: acidenteindenizaçãotransito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG