Woody Allen diz que não aspira ao Oscar nem ao Globo de Ouro

ROMA ¿ O cineasta americano Woody Allen, autor de filmes como Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1977), Manhattan(1979) e Match Point (2005), diz que não aspira ao Oscar, nem sequer ao Globo de Ouro porque não crê que os prêmios sirvam para muito.

EFE |

Woody Allen / Getty Images

O diretor respondeu assim a uma pergunta sobre se pensa em ganhar um Oscar. "Não penso muito nisso, mas também não penso no Globo de Ouro. Quereria que os prêmios representassem algo, mas infelizmente, visto o modo em que se organizam, não acho que sirvam para muito".

Allen fez estas declarações em entrevista publicada hoje pelo jornal italiano "La Repubblica", na qual acrescentou que "não pensa muito" nas quatro indicações que recebeu "Vicky Cristina Barcelona", protagonizada por Javier Bardem, Penélope Cruz, Scarlett Johansson e Rebecca Hall, para o próximo Globo de Ouro. As candidaturas são as de melhor filme de comédia, melhor ator principal (Bardem), melhor atriz (Hall) e melhor atriz coadjuvante (Cruz).

"'Vicky Cristina Barcelona' para mim já é história, filmei há dois anos; já estreou, as pessoas gostaram e agradeço, mas nestes dois anos fiz um novo filme ('Whatever Works') e escrevi outro que montarei no próximo verão (no Hemisfério Norte)", explicou.

"Whatever Works", protagonizado por Evan Rachel Wood e pelo comediante Larry David, estreará em junho de 2009 e foi definido por Allen como "uma história romântica entre gente original que, ao se encontrar, cria muitos conflitos e problemas".

Allen falou também na entrevista sobre o novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de quem disse que espera que "faça um bom trabalho", mas que não espera "milagres".

"Sou otimista a respeito de Obama, é uma pessoa muito inteligente. Por outro lado, saímos de anos dominados pela pior, mais incompetente e mais corrupta administração que o país teve", sustentou.

Perguntado por sua outra grande paixão, a música ¿ mais especificamente, o jazz ¿, o cineasta comentou que na Europa as pessoas estão mais interessadas neste gênero do que nos Estados Unidos.

"Não consigo explicar, já que os melhores músicos de jazz são americanos. Mas está comprovado que muitos deles foram obrigados a se mudar para a Europa para trabalhar e viver", declarou Allen.

Além disso, acrescentou que não aprecia a música pop porque "não consegue me emocionar" e assinalou que seu gênero favorito é o jazz de Nova Orleans, enquanto seus ídolos são músicos como Ornette Coleman, John Coltrane, Thelonious Monk e Charlie Parker.

"Cresci em um era de música maravilhosa com Cole Porter, George Gershwin e Irving Berlin. A música até os anos 50, para mim, não era só música, era o verdadeiro sentido da minha vida", afirmou.

Leia mais sobre: Woody Allen

    Leia tudo sobre: woody allen

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG