SÃO PAULO ¿ Ecos do sucesso de Tropa de Elite ainda eram ouvidos anteontem na Sala São Paulo: o longa-metragem de José Padilha foi o vencedor da quarta edição do Prêmio Bravo Prime de Cultura, na categoria cinema. Ainda com a imagem bastante ligada ao filme, o ator Wagner Moura levou o prêmio na categoria Artista Prime do Ano, na qual concorria com o próprio Padilha, além de Beatriz Milhazes, Laurentino Gomes, Ney Matogrosso e Roberto Minczuk.

Além do troféu, oferecido para os vencedores das outras dez categorias, o ator recebeu um prêmio de R$ 15 mil em dinheiro, oferecido pelo patrocinador. "Gente, me deram um cheque aqui", entregou Moura ao sair do palco, depois de, emocionado, lembrar que Paulo Autran venceu o mesmo prêmio no ano passado. "Viva Cacilda Becker!", encerrou.

Um dos grandes homenageados - e dos mais aplaudidos - da noite, o maestro Minczuk venceu em outra categoria, a de Personalidade Cultural do Ano, na qual concorria com Oscar Niemeyer e Sandra Corveloni. O prêmio reconhece o trabalho de revitalização da Orquestra Sinfônica Brasileira.

Na categoria artes plásticas, o vencedor foi Vik Muniz, pela exposição " The Beautiful Earth". No teatro, venceu o espetáculo " Não Sobre o Amor" , de Felipe Hirsch; o prêmio de literatura, entregue pela escritora Lygia Fagundes Telles, ficou com Cristovão Tezza, pelo romance " O Filho Eterno" . Sônia Mota recebeu o prêmio na categoria dança, das mãos do coreógrafo Ivaldo Bertazzo, pelo espetáculo " Vi-Vidas" .

Trabalho notável de pesquisa, " Bach: 3 Suítes para Violoncelo Solo" , de Dimos Goudaroulis, venceu como melhor CD de música erudita. Na categoria CD de música popular, Marcos Valle saiu vitorioso com "Conecta" . A nova aventura de Caetano Veloso, " Obra em Progresso" , foi escolhida como melhor show e a Pinacoteca como a instituição com a melhor programação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.