A tripulação do navio Mistral, da Marinha francesa, recolheu hoje mais possíveis pedaços de corpos humanos no Oceano Atlântico, além de destroços do Airbus A330 da Air France e bagagens. O assessor de imprensa da Força Aérea Brasileira (FAB), tenente-coronel Henry Munhoz, afirmou que ainda não há data para o encerramento das buscas.

"Não existe uma previsão. As datas que foram apresentadas são relativas a suprimento", disse.

Munhoz explicou que os comandantes das operações consideram suficientes as condições logísticas para a continuidade da operação. Eles conversaram hoje, por telefone. Para sexta-feira, está programado um encontrou no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) III, no Recife, em Pernambuco.

À tarde, um avião C-130 Hércules transportou seis corpos de Fernando de Noronha para a capital pernambucana. Lá, eles serão submetidos a exames de identificação no Instituto Médico Legal (IML). Ao todo, 49 corpos já estão no prédio. O quinquagésimo corpo encontrado continua armazenado no navio Gastão Mota, que está a caminho do arquipélago.

A corveta Caboclo contém uma quantidade de destroços considerada "expressiva" pela Marinha e bagagens dos passageiros do voo 447, que caiu no último dia 31 com 228 pessoas a bordo. A embarcação deverá chegar ao porto de Recife na manhã de sexta-feira. No mesmo dia, os militares entregarão o material para os representantes da Escritório de Investigações e Análises para a Aviação Civil (BEA, na sigla em francês), órgão responsável pela apuração das causas da tragédia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.