Voo 447: chance de resgatar 228 corpos é remota

A cada dia que passa fica mais difícil encontrar novos corpos, vítimas do acidente com o voo AF 447, da Air France, que caiu no mar quando fazia o trajeto entre o Rio de Janeiro e Paris no último dia 31 de maio. A avaliação é do brigadeiro Ramon Cardoso, diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo da Aeronáutica.

Agência Estado |

Segundo ele, é "praticamente remota" a possibilidade de encontrar todos os 228 corpos que estavam no avião A-330 da Airbus acidentado. "Nós já falamos aos familiares sobre essa dificuldade", afirmou hoje em entrevista coletiva.

O brigadeiro afirmou ainda que a equipe formada para busca de corpos e destroços do acidente completou hoje as condições operacionais necessárias para manter as buscas até o dia 19 de junho, e que se a missão continuar encontrando corpos e destroços deverá dar prosseguimento aos trabalhos até o dia 25. "A partir daí faremos reuniões a cada dois dias para avaliar as necessidades", disse.

De acordo com Cardoso, o tempo ruim dificultou às buscas durante o dia de ontem, mas os trabalhos continuam. Ele explicou que a corrente marítima que seguia em direção ao espaço aéreo e marítimo de Dacar mudou recentemente, o que deve fazer com que os destroços voltem para a área de atuação das autoridades brasileiras. O brigadeiro adiantou que novos corpos foram avistados hoje pela equipe francesa que participa das buscas, mas que ainda não há informações sobre o número de vítimas. "Só poderemos confirmar isso quando os navios franceses chegarem ao local e resgatarem os corpos", disse o brigadeiro.

Questionado sobre o pedido feito pelos familiares para acompanhar os trabalhos em Recife, o brigadeiro Cardoso informou que ainda não está definido se um representante dos familiares das vítimas gostaria de acompanhar as investigações, as buscas ou a identificação dos corpos. "O que posso adiantar é que não é possível levar familiares ou repórteres nos trabalhos de busca. Essa é uma missão cansativa e não podemos integrar pessoas que possam distrair o trabalho", disse.

Ainda de acordo com o brigadeiro, as autoridades brasileiras estão planejando a remoção de 12 ou 13 corpos da ilha de Fernando de Noronha para o Recife para a manhã do próximo sábado. O restante deverá ser transferido no domingo à tarde, se o tempo permitir. "Se o tempo estiver muito ruim essa remoção pode acontecer só na segunda-feira de manhã", informou. Até agora 16 corpos, do total de 41 resgatados, já se encontram no IML de Recife.

Segundo as autoridades brasileiras, os primeiros destroços recolhidos já estão em Natal - cerca de 37 peças - e deverão ser transferidos posteriormente para Recife. O material é de responsabilidade da agência de investigação de acidentes francesa (BEA, em francês). Já as bagagens que forem encontradas ficarão sob responsabilidade da Air France.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG