Volta de Alckmin esfria briga interna para governo de SP

A decisão do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), de trazer para o seu secretariado o antecessor Geraldo Alckmin (PSDB) deve esfriar a disputa interna que já começava a se configurar no ninho tucano para a escolha do sucessor ao Palácio dos Bandeirantes em 2010. Um dia depois do anúncio da nomeação do ex-governador para a Secretaria de Desenvolvimento, a avaliação de quem defende Alckmin ou o secretário da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira, para ser o candidato a governador na próxima eleição é de que é natural a decretação de um armistício.

Agência Estado |

"Acho que nesse momento haverá um enorme abrandamento do conflito", afirmou o secretário municipal de Esportes, Walter Feldman. O tucano foi uma das lideranças do grupo do PSDB - ligado a Serra - que se opôs à candidatura de Alckmin no ano passado à prefeitura paulistana e apoiou a reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM). Hoje esse grupo se movimenta para fortalecer Aloysio. "Ontem havia dois campos independentes. Hoje é possível pensar no futuro em um único campo", emendou Feldman.

Para o presidente estadual do PSDB, Mendes Thame, que vai comandar oficialmente a escolha do candidato ao governo estadual, a confirmação de que será Serra o condutor desse processo "aumenta a chance de haver uma grande conciliação". Thame considerou, entretanto, "ilações" as especulações em torno de disputas internas para o posto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG